Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Português Cabaça ganha prémio com efeitos especiais no filme Star Wars

Gonçalo Cabaça, um dos artistas portugueses que trabalha na empresa de efeitos especiais Industrial Light & Magic, acaba de ser premiado nos Estados Unidos pelo trabalho no filme "Star Wars: A ascensão de Skywalker", de J.J. Abrams.

Lusa 08 de Fevereiro de 2020 às 11:59
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

"Faço tudo aquilo que não é possível filmar, e tentamos fazer da forma mais realista possível. Se o nosso trabalho for bem feito, as pessoas nem duvidam dele nem é notado", afirmou Gonçalo Cabaça à agência Lusa.

O artista português, em equipa com Don Wong, Thibault Gauriau e François-Maxence Desplanques, foi distinguido pelos pares, nos prémios anuais da organização Visual Effects Society, que reconhecem especificidades em matéria de efeitos visuais e especiais no cinema.

Nas vésperas da cerimónia de entrega dos Óscares, marcada para domingo e em que o último filme da saga "Star Wars" está nomeado para o prémio de melhores efeitos visuais, Gonçalo Cabaça explica que ele é só mais um elemento de uma equipa técnica gigantesca que trabalhou aquela produção, através da Industrial Light & Magic (ILM), a empresa que George Lucas fundou em 1975.

A partir da Singapura, onde tem trabalhado nos últimos anos na ILM, Gonçalo Cabaça contou que lidera alguns projetos no departamento de efeitos da empresa, trabalhando em tudo o que é animado, num filme que tenha imagem real, como explosões, tempestades, acidentes, ou precise de "efeitos de indole mágica ou fantasiosa".

O prémio que conquistou nos Estados Unidos diz respeito a uma sequência com mais de cem planos em "Star Wars: A ascensão de Skywalker", numa cena de luta junto ao mar entre os atores Adam Driver e Daisy Ridley, e cuja criação em digital envolveu várias pessoas durante oito meses.

É um trabalho muito específico e que fica quase diluído entre as centenas de pessoas que fizeram parte de uma produção de grande escala cinematográfica como "A Guerra das Estrelas", mas junta-se a um currículo marcado por outros filmes de entretenimento, como "Vingadores: Endgame" (2019), "Kong: A ilha da caveira" (2017) e "A grande muralha" (2016).

Gonçalo Cabaça, nascido em Lisboa em 1972, recordou à Lusa um percurso que incluiu estudos em Design Industrial, em Teatro e uma experiência profissional como professor, durante 11 anos no Faial, Açores.

"Era um desafio por um ano e acabei por ficar onze. Era professor de Educação Visual e de Artes. Acabei por desenvolver com os alunos muito trabalho na área da animação e dos filmes", contou.

Depois, trocou o ensino por um mestrado em efeitos visuais, no Reino Unido, e conseguiu um estágio em Los Angeles (Califórnia), "onde existia a indústria de cinema de pós-produção na altura", e que lhe abriu todas as portas seguintes.

A partir daí trabalhou em Sidney (Austrália), Nova Iorque e São Francisco (Estados Unidos), até ir para Singapura, trabalhar numa das divisões da ILM.

"Eu não participo nas decisões criativas da história [de um filme]. Há um plano daquilo que se pretende e nós desenvolvemos o trabalho dentro desse plano e, eventualmente, conseguimos mudar alguma coisa, mas o objetivo não é esse. A nossa parte criativa é nas soluções encontradas para aquilo que nos é pedido", disse.

Atualmente trabalha no filme "Free Guy", de Shawn Levy, protagonizado por Ryan Reynolds, e que deverá estrear-se no verão.

Sobre os Óscares, Gonçalo Cabaça não dá palpites sobre quem ganhará o de melhor efeitos visuais.

"Muitas vezes, os filmes escolhidos até não têm muitos efeitos, mas servem muito bem a história que está a ser contada. São menos impressionantes do ponto de vista do trabalho, mas mais impressionantes no quão o trabalho beneficia a história que está a ser contada", disse.

Gonçalo Cabaça fala de um meio competitivo, mas numa escala menos agressiva se comparada com a área da representação ou da realização, e deixa dois conselhos: "Sinalizar uma licenciatura, procurar qual a melhor universidade do mundo da área que a pessoa mais quer. Não criar um plano a longo prazo".

"É estar disponível para as oportunidades e depois é ter sorte", resumiu.

Ver comentários
Saber mais star wars gonçalo cabaça efeitos especiais industrial light & magic
Outras Notícias