Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Barnier: Novas negociações do Brexit sem progressos significativos

"Enquanto negociador da UE, a minha responsabilidade é dizer a verdade. E, para ser honesto, nesta semana não houve progressos significativos", disse Michel Barnier, em conferência de imprensa realizada ao final da manhã desta sexta-feira, em Bruxelas.

EPA
Negócios com Lusa 05 de Junho de 2020 às 13:26
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...
A quarta e última ronda negocial prevista para definir o enquadramento de um futuro acordo comercial bilateral entre a União Europeia e o Reino Unido terminou, uma vez mais, sem "progressos significativos", lamentou em jeito de crítica a Londres o chefe da equipa responsável pela condução das conversações pelo lado europeu, Michel Barnier, acusando ainda as autoridades britânicas de se "fastarem" dos pressupostos inicialmente definidos para o diálogo.  

"Enquanto negociador da UE, a minha responsabilidade é dizer a verdade. E, para ser honesto, nesta semana não houve progressos significativos", disse Michel Barnier, em conferência de imprensa realizada ao final da manhã desta sexta-feira, em Bruxelas.

Segundo o negociador-chefe da UE para as futuras relações de Bruxelas e Londres pós-Brexit, ainda existe "um longo caminho a percorrer" nestas discussões, sendo que entre os assuntos com mais divergências estão o acesso equilibrado a ambos os mercados, a governança da futura parceria, a proteção dos direitos fundamentais e o setor das pescas.

"Não pensem que podemos continuar [sem progressos] assim para sempre", avisou Michel Barnier. Parecem continuar a degradar-se as condições em que decorrem as negociações, pois já no final da ronda anterior ambas as partes responsabilizaram-se mutuamente pela ausências de avanços

A dificultar estas negociações está, de acordo com o responsável francês, o facto de os "parceiros britânicos se estarem a distanciar" do Acordo de Saída do Reino Unido da UE.

"É um documento que está disponível em todas as línguas, incluindo em inglês, e não é difícil de ler. Foi negociado com o primeiro-ministro [britânico] Boris Johnson e foi aprovado pelos líderes europeus, pelo que continuará a ser a nossa base para as negociações", frisou Michel Barnier.

Recordando que "o Reino Unido já se recusou a estender o período de transição", o negociador comunitário destacou também que "a porta, por parte da UE, continua a estar aberta".

Porém, "se não houver qualquer alteração, o Reino Unido irá deixar o mercado único e a união aduaneira a 31 de dezembro e isso é já daqui a sete meses", lembrou também.

Michel Barnier pediu assim que as duas equipas "utilizem este tempo restante de forma apropriada", focando-se "nos assuntos mais divergentes" e tendo em vista desde logo conseguir acordos até outubro para dar tempo para adotar os necessários textos legais.

Na passada segunda-feira, arrancou uma nova ronda de negociações para o futuro comercial de Bruxelas e Londres, após o 'Brexit', numa semana decisiva para avançar nos trabalhos.

Esta foi a quarta ronda de negociações relativa à futura parceria comercial após a saída do Reino Unido da UE, em final de janeiro passado, e foi realizada à distância e por meios tecnológicos, dada a pandemia de covid-19, entre as equipas dos lados comunitário e britânico, respetivamente lideradas por Michel Barnier e por David Frost.

Michel Barnier disse hoje esperar que, "no final de junho", seja possível retomar as negociações presenciais.

"Assim poderão correr melhor porque será mais fácil e efetivo", adiantou o responsável francês.

Para final deste mês de junho continua a estar prevista uma reunião de alto nível para avaliar o progresso e decidir sobre uma eventual extensão do período de transição, que termina em 31 de dezembro.

O Reino Unido abandonou oficialmente a UE em 31 de janeiro passado, mas permanece dentro do seu espaço económico e regulatório até ao final do ano, durante o chamado período de transição.

O acordo de saída entre o Reino Unido e a UE permite que o prazo seja prorrogado por dois anos, mas o Governo britânico não quer o prolongamento para além de 31 de dezembro.

Londres já admitiu também abandonar as negociações se não houver suficiente progresso.
Ver comentários
Saber mais Brexit União Europeia Reino Unido Michel Barnier
Mais lidas
Outras Notícias