Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Grécia cede à China 67% do porto do Pireu até 2052

Chegou ao fim o longo processo negocial entre Atenas e Pequim para a privatização de parte do porto do Pireu. A empresa chinesa Cosco comprou mais 67% da sociedade portuária por 368,5 milhões de euros.

Kostas Tsironis/Bloomberg
Negócios com Lusa 08 de Abril de 2016 às 18:34
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...

O Governo grego assinou esta sexta-feira, 8 de Abril, o acordo definitivo com a China para a cedência, por 36 anos, de dois terços da Autoridade Portuária do Pireu (OLP) à empresa estatal chinesa Cosco, num acto que decorreu na residência do primeiro-ministro. O contrato de privatização é válido até 2052.

 

A agência grega de privatizações (Hraf) precisou que o acordo para a cedência de 67% da sociedade portuária, a maior da Grécia, ao gigante chinês do transporte marítimo ascende a 368,5 milhões de euros. Inicialmente o Executivo grego pretendia alienar apenas 51% do Pireu, mas a negociação acabou por determinar a alienação de uma parcela superior e também o recebimento de uma melhor oferta financeira por parte da Cosco.

 

"O acordo foi assinado entre o presidente da Hraf, Stergios Pitsiorlas, e o director financeiro da Cosco, Feng Jinhua, na presença do primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras", indicou um comunicado da Hraf, citado pela agência noticiosa France-Presse (AFP). 

De acordo com o jornal grego To Vima, este acordo deverá gerar 1,5 mil milhões de euros para o Estado helénico, incluindo uma provisão de 350 milhões de euros destinada à execução de investimentos ao longo dos próximos anos. A expectativa do Governo liderado por Alexis Tsipras é a de que esta privatização garantirá investimentos futuros, especialmente depois de o instituto de pesquisa IOVE ter publicado um estudo em que estima que este acordo entre Atenas e Pequim poderá trazer à economia grega até 4 mil milhões de euros por ano.

  

Em 20 de Janeiro a agência Hraf anunciou ter aceitado uma oferta melhorada da Cosco (China Ocean Shipping Company), com sede em Hong Kong, no montante de 368,5 milhões de euros, e o único candidato a concurso para esta concessão de exploração do porto do Pireu até 2052. Duas outras sociedades tinham no passado manifestado interesse nesta concessão, a dinamarquesa APM e a International Container Terminals Services (ICTS), das Filipinas.

 

A sociedade chinesa garantia a vantagem de estar presente no Pireu desde 2008, após a aquisição de dois terminais deste porto. O seu objectivo consiste em tornar o Pireu no maior centro de trânsito do sudeste da Europa, e de promover uma "ponte entre a Ásia e a Europa". Em Junho de 2015, o ministro grego da Defesa, Panos Kammenos, confirmava que "estamos em conversações avançadas para alargar a cooperação [com a Cosco] em breve, incluindo também a construção de uma estrada", fazendo também então referência ao facto de a empresa chinesa já operar no porto do Pireu.

 

Esta assinatura constitui "uma importante etapa do plano de privatização" e respeita "os compromissos da Grécia face aos seus credores", congratulou-se a Hraf.

 

A assinatura deste acordo foi precedida pela sua aprovação pelo Tribunal de contas grego. Em breve deverá ser ratificado pelo parlamento, com a transacção a ficar concluída até Junho, mais de um ano depois do início das negociações.

 

Alexis Tsipras já recebeu uma mensagem do seu homólogo chinês Li Keqiang, que sublinhou a "importância das relações greco-chinesas e a possibilidade do seu desenvolvimento", segundo um comunicado do gabinete do primeiro-ministro grego. O texto refere ainda que Tsipras aceitou um convite do seu homólogo para visitar Pequim em Junho.

Ver comentários
Saber mais China Grécia Porto do Pirei Cosco Alexis Tsipras Panos Kammenos Autoridade Portuária do Pireu Stergios Pitsiorlas Feng Jinhua Li Keqiang agência Hraf
Mais lidas
Outras Notícias