Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Líder do FMI defende apoio financeiro possível para vencer a crise

"Devemos pôr tudo na mesa, uma vez que não sabemos, neste momento, como a crise vai evoluir", declarou Kristalina Georgieva

Kristalina Georgieva FMI
EPA
Lusa 16 de Abril de 2020 às 19:03
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
A diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI) considerou esta quinta-feira que devem ser postos à disposição dos países todos os instrumentos financeiros possíveis para os ajudar a ultrapassar a crise da pandemia de covid-19.

"Devemos pôr tudo na mesa, uma vez que não sabemos, neste momento, como a crise vai evoluir", declarou Kristalina Georgieva, numa conferência de imprensa no encerramento das reuniões de primavera da instituição, que decorreram por videoconferência devido à crise sanitária.

A economia mundial vai entrar em recessão este ano, de acordo com as últimas previsões da instituição, que apontam para uma contração de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) mundial se as medidas de confinamento pararem no final de junho.

Se a pandemia e as medidas de isolamento social continuarem, a recessão pode ser bastante mais grave.

A crise afeta já duramente muito países, a começar pelos mais pobres em África. A pandemia vai levar os países de África subsaariana a registarem uma queda do PIB de 1,6% este ano, segundo as previsões do FMI.

"África é uma das maiores prioridades tanto para o FMI como para o Banco Mundial, em termos de aplicação das nossas capacidades", indicou a dirigente do FMI.

Kristalina Georgieva considerou que os países africanos seguiam uma trajetória animadora antes desta crise, alguns com taxas de crescimento de "6% ou mais".

Até agora, no continente africano 910 pessoas morreram e mais de 17 mil foram infetadas por covid-19.



EO (CFF) // CSJ

Lusa/fim
Ver comentários
Saber mais FMI PIB Fundo Monetário Internacional Kristalina Georgieva política África
Mais lidas
Outras Notícias