Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Novas cativações são para consolidar poupanças já alcançadas nas despesas com pessoal

O Governo confirmou hoje que vai avançar com novas cativações no orçamento dos serviços, mas tendo em vista consolidar poupanças alcançadas nas despesas com pessoal, de acordo com fonte oficial do Ministério das Finanças.

Lusa 23 de Julho de 2012 às 21:09
  • Partilhar artigo
  • ...
A notícia de que o Governo irá avançar com novas cativações na ordem dos 300 milhões de euros foi avançada na edição de hoje do Diário Económico, que apontava para cativações diferenciadas com o objectivo de evitar uma derrapagem do défice orçamental.

Fonte oficial do Ministério liderado por Vítor Gaspar confirma que existe "movimento nesse sentido", lembrando, no entanto, que as cativações por si só não resultam em poupanças, mas que o objectivo é consolidar alguma da poupança conseguida até esta altura com as despesas com pessoal.

Em causa não está uma cativação no sentido típico como acontece no início do ano no Orçamento do Estado, quando os serviços colocaram de parte já uma parcela do seu orçamento, ao qual só poderão recorrer em casos específicos e autorizados, onde a necessidade é justificada.

Neste caso, fonte oficial do Ministério das Finanças explica que "há algum movimento nesse sentido", mas que neste caso passa por tentar utilizar cativações para consolidar uma parte da poupança já alcançada nas despesas com pessoal.

"Neste caso não é exactamente isso que se está a fazer. Temos uma diferença entre aquilo que é o objectivo em termos de redução de despesas de pessoal, comparando a conta definitiva da execução de 2011 com o objectivo do orçamento deste ano, que é uma redução de cerca de 13%. Neste momento, estamos com uma redução de 16,8%. O que se pretende fazer é consolidar uma parte desta poupança. No fundo há aqui já uma poupança que se verificou, vamos tentar consolidar uma parte desta poupança".

A diferença entre o objectivo e o nível de poupança nesta altura do ano é estimada, em termos anuais, entre os 510 e os 520 milhões de euros, contras preliminares, sendo que algumas partes desta cativação ainda podem vir a ser desbloqueados, mas também admite-se que possa existe "outros sítios" onde se poderá ir buscar essas poupanças.
Ver comentários
Outras Notícias