Economia AP: Todos os países visados pelas tarifas dos EUA podem negociar exclusões

AP: Todos os países visados pelas tarifas dos EUA podem negociar exclusões

Todos os países afectados pelas tarifas à importação de aço e alumínio nos EUA, medida que o presidente norte-americano anunciou na semana passada como estando em cima da mesa, poderão negociar exccepções, avançou a Associated Press.
AP: Todos os países visados pelas tarifas dos EUA podem negociar exclusões
Carla Pedro 08 de março de 2018 às 20:42

O presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou na semana passada tarifas alfandegárias sobre o aço (25%) e alumínio (10%) importado pelos EUA, tendo sublinhado que esta semana se efectivaria o plano.

 

Estas medidas, que geraram uma onda de críticas em todo o mundo a ameaça de retaliações semelhantes, vão ser hoje assinadas por Donald Trump, segundo a Associated Press (AP), que cita fontes conhecedoras do processo.

 

No entanto, as mesmas fontes referiram que todos os países visados poderão negociar exclusões a estas medidas – que entrarão em vigor dentro de 15 dias.

 

Já tinha sido avançado que, em troca de cedências do Canadá e México para a assinatura de um novo Acordo de Comércio Livre da América do Norte (NAFTA), estes dois países poderiam ser isentados das medidas. Agora, estas fontes avançaram à AP que a exclusão pode chegar a todos os que assim o solicitarem.

Citadas pela AP, as mesmas fontes referiram que "os países que resolvam a ameaça que as suas exportações colocam aos EUA terão direito a isenções".

 

A ideia de aplicação destas medidas proteccionistas tem penalizado fortemente as bolsas, com especial incidência em Wall Street, devido aos receios de uma guerra comercial entre os EUA e os seus parceiros.

Segundo a Reuters, Trump irá promulgar ainda hoje, na Casa Branca, as medidas de aplicação destas tarifas.

Donald Trump disse que as tarifas poderão não ser aplicadas aos países que "nos tratem, comercialmente, de forma justa".


(notícia actualizada às 20:52)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
pub