Educação Passos vai dar aulas de Administração Pública e Economia

Passos vai dar aulas de Administração Pública e Economia

O ex-primeiro-ministro vai dar aulas de mestrado e doutoramento nas áreas de Administração Pública e Economia. Passos Coelho vai leccionar em três instituições, sendo que uma delas é o ISCSP, onde deverá ser professor convidado catedrático.
Passos vai dar aulas de Administração Pública e Economia
Lusa
David Santiago 02 de março de 2018 às 16:23

Passos Coelho vai ser professor universitário nas áreas de Administração Pública e Economia, apurou o Negócios junto de diversas fontes. O ex-primeiro-ministro irá leccionar em três universidades, públicas e privadas, e dar aulas a alunos de mestrado e doutoramento. Uma das instituições será o Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP), isto depois de Passos ter aceitado o convite feito pela faculdade.

No ISCSP, o ex-presidente do PSD vai dar aulas a alunos de mestrado e doutoramento em Administração Pública, devendo fazê-lo na categoria de professor convidado catedrático. O Negócios apurou que o Conselho Científico do ISCSP, que reuniu esta semana, deu provimento à proposta do nome de Passos feita pela presidência da instituição de ensino. O ISCSP valoriza a experiência de Passos como primeiro-ministro, boa parte da mesma durante o período da intervenção externa, considerando que o antigo líder do PSD vai permitir diversificar e melhorar a sua oferta educativa. 

Nesta faculdade, Passos terá uma espécie de equiparação salarial à de professor catedrático (topo da carreira no ensino universitário), contudo ajustada à carga horária que o antigo chefe de Governo terá atribuída na instituição. É que Passos Coelho dividirá o seu tempo lectivo por três instituições.

O até há pouco tempo presidente do PSD não terá nenhuma cadeira específica a cargo em qualquer uma das três instituições, podendo as suas aulas serem integradas em diferentes disciplinas mediante o calendário lectivo de que cada Universidade.

Licenciado em Economia pela Universidade Lusíada, Passos Coelho é membro do restrito Conselho de Honra do ISCSP. Após ter saído da presidência do PSD depois do Congresso "laranja", Passos também renunciou ao lugar de deputado na passada quarta-feira, dia de debate quinzenal com o primeiro-ministro. Ao sair da vida política activa, Passos vai ser docente universitário e concentrar-se nos próximos meses no livro que está a preparar sobre os quatro anos em que chefiou o Governo de coligação com o CDS.

Por aquele instituto passaram já vários antigos líderes partidários e ex-governantes como António José Seguro, Rui Pereira, Luís Amado ou Basílio Horta. Seguro é actualmente professor auxiliar no ISCSP.

O ISCSP é presidido por Manuel Meirinho, ex-deputado eleito como independente nas listas do PSD nas legislativas de 2011, o acto eleitoral que levou Passos para o Governo. Meirinho abandonou a Assembleia da República em Maio de 2012 para assumir a presidência do ISCSP, substituindo João Bilhim que foi tutelar a Cresap.

Apesar de ter estado pouco tempo no Parlamento, Meirinho foi um dos principais responsáveis pela reforma relacionada com a fusão de freguesias, uma medida prevista no memorando de entendimento assinado com a troika.




A sua opinião199
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
mais votado Anónimo 03.03.2018

Quem sabe, sabe. Quem não sabe fabrica bancarrotas.

comentários mais recentes
Coelho farsola do pote! .. emigra !!! 11.03.2018

Todos sabemos que Pedro Passos Coelho e' um zero a esquerda, um JSD que nunca trabalhou na vida, político profissional que teve uma saída vergonhosa do PSD, uma nulidade sem qualquer capacidade de copiar o trajeto pós-política do Durão Barroso, António Guterres ou Paulo Portas !!

Anónimo 08.03.2018

Toda a gente sabe a "via crucis" que um académico tem de percorrer desde o mestrado até às provas de doutoramento e de agregação para se tornar professor universitário.Com P. Coelho foi diferente: os amigos de que dispõe no local certo e no momento certo eximiram-no de todas estas "formalidades".

Anónimo 07.03.2018

Como a qualidade do ensino é fraco em Portugal!

eleitor 05.03.2018

Entra-se , como Catedrático , por CONVITE ????...........Não é sujeito a concurso Público , o preenchimento de vagas ????

ver mais comentários
pub