Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

"Vergonha". Ana Gomes interrompe discurso de primeiro-ministro de Malta

A eurodeputada socialista disse o nome da jornalista que investigava caso de corrupção que envolvia o governo e que foi assassinada em Malta. Ana Gomes interrompeu o discurso de Joseph Muscat.

João Manuel Ribeiro/Negócios
Negócios jng@negocios.pt 08 de Dezembro de 2018 às 15:02
  • Assine já 1€/1 mês
  • 38
  • ...
Ana Gomes protestou contra o primeiro-ministro de Malta, Joseph Muscat, durante a sua intervenção no Congresso do Partido Socialista Europeu, que decorre deste ontem em Lisboa, avançam o Público e o Observador. Logo que Muscat começou a falar, a eurodeputada socialista começou a gritar: "Vergonha! Vergonha! Apoias os corruptos". Depois, gritou o nome da jornalista assassinada em Malta: "Daphne Caruana Galizia". Muscat continuou a discursar, revelam as mesmas fontes.



Antes, Ana Gomes já tinha recorrido ao Twitter para escrever que o facto de Muscat discursar no congresso dos socialistas europeus, enquanto o seu Governo "mantém criminosos dos Panama Papers" e "bloqueia a justiça sobre assassinato da jornalista Daphne Caruana Galizia", era estar a destruir a "credibilidade da família política" socialista.



Recorde-se que Daphne terá sido assassinada na altura em que investigava alguns casos de corrupção relacionados com o governo de Malta. Já tinha denunciado vários casos de corrupção que envolviam o primeiro-ministro, a sua esposa e vários ministros do executivo na sequência dos Panama Papers. Ana Gomes liderou a missão do Parlamento Europeu a Malta após o assassinato desta jornalista.


"Liderei a missão do Parlamento Europeu a Malta, tenho seguido o assunto, estive lá, sei tudo. Muscat tem no seu Governo ministros expostos nos Panama Papers, que são criminosos. Está a bloquear a justiça. Como é que é possível pô-lo a discursar? Não dá credibilidade nenhuma ao Partido Socialista Europeu, Só me posso indignar", disse Ana Gomes ao Público.

Ver comentários
Saber mais Ana Gomes PS Parlamento Joseph Muscat congresso Malta
Outras Notícias