União Europeia Escócia ameaça vetar Brexit. Demissões em massa nos Trabalhistas

Ao Minuto Escócia ameaça vetar Brexit. Demissões em massa nos Trabalhistas

Demissões no Partido Trabalhista ameaçam liderança de Corbyn. Conservadores procuram um candidato "stop Boris". Sondagem na Escócia revela que a maioria quer a independência e a primeira-ministra Sturgeon quer vetar Brexit. Veja o rescaldo de uma votação que promete mudar a Europa. Com reportagem a partir de Londres.

27 de junho de 2016 às 00:31 Saída do minuto

27 de junho de 2016 às 00:25 Boris Johnson diz que Reino Unido continuará no mercado único

26 de junho de 2016 às 23:37 Papa Francisco alerta para risco de "balcanização" da Europa

26 de junho de 2016 às 22:29 Alemanha e França "de acordo" sobre como enfrentar saída do Reino Unido

26 de junho de 2016 às 21:25 alarmes

27 de junho de 2016 às 00:31
Saída do minuto

Mais de 36 horas depois, o Negócios dá por encerrado o acompanhamento ao minuto das principais reacções e notícias que no fim-de-semana marcaram a actualidade do pós-Brexit. Continue nos próximos dias a acompanhar em negocios.pt tudo o que de mais importante houver a dizer sobre este tema. Com a permanência em Londres da nossa enviada especial Alexandra Machado.

27 de junho de 2016 às 00:25
Boris Johnson diz que Reino Unido continuará no mercado único

Boris Johnson disse que o processo de saída não devia ser accionado à pressa. Continua a dizer que as mudanças não acontecerão muito rapidamente. E admite que o país poderá manter-se no mercado único.

Três dias depois do referendo e dois depois de ter dado a conferência de imprensa onde declarou concordar com David Cameron de que não há pressa em accionar o artigo 50.º do Tratado de Lisboa, que levará o Reino Unido para fora da União Europeia, Boris Johnson escreve um longo artigo com a sua visão.

No The Telegraph, Boris Johnson, que tem sido referido como principal candidato ao lugar de Cameron no partido conservador, afirma que não lhe parece que a maior parte dos que votaram pelo Leave, que recebeu 17 milhões de votos, o tenham feito por uma questão de emigração, mas sim por uma questão de controlo, "no sentido de que a democracia britânica estava a ser contaminada pelo sistema da União Europeia".

Johnson faz também um apelo à unidade nacional. "Devemos estar orgulhosos e optimistas em relação ao Reino Unido, e sobre o que pode ser alcançado. E conseguiremos essas coisas juntos, com as quatro nações unidas. Não vê "apetite" para se realizar, a breve prazo, novo referendo na Escócia. "Para não esquecer que estamos melhor juntos para negociar e alcançar um novo acordo com a União europeia, baseado no livre comércio e parceria e não num sistema federal". Volta a afirmar, como já o tinha feito na conferência de imprensa, que nunca é demais salientar que "o Reino Unido é parte da Europa e sê-lo-á sempre". 

26 de junho de 2016 às 23:37
Papa Francisco alerta para risco de "balcanização" da Europa

O Papa Francisco alertou este domingo para o risco de "balcanização" da Europa depois de o Reino Unido ter decidido a saída da União Europeia e apelou a que os Estados-membros tracem um novo caminho, com mais liberdades.

"Temos de encontrar um novo tipo de União", disse o pontífice aos jornalistas, na viagem de regresso a Roma após a visita oficial à Arménia, comentando o Brexit decidido pelos britânicos na passada quinta-feira. "Há alguma coisa que não está a funcionar nesta maciça, pesada União. Mas não vamos deitar fora o bebé com a água do banho", disse Francisco.

O Papa admitiu que o Brexit pode impulsionar a independência de países, como a Escócia, e regiões, como a Catalunha (Espanha), o que poderia levar à "balcanização" da Europa.

26 de junho de 2016 às 22:29
Alemanha e França "de acordo" sobre como enfrentar saída do Reino Unido

O presidente de França, François Hollande, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, chegaram a um acordo sobre como lidar com o resultado do referendo britânico, que optou pela saída da União Europeia.

De acordo com fontes próximas do presidente francês, o acordo foi afirmado este domingo durante uma conversa pelo telefone. A chanceler alemã e o presidente francês também sublinharam a "necessidade de iniciativas a favor da Europa e de agir rapidamente em relação a prioridades concretas". 

26 de junho de 2016 às 21:25
alarmes

Em todo o mundo soam os alarmes. O ministro chinês das Finanças, citado pelas News Trust, disse que o Brexit "lançará uma sombra sobre a economia global". Já um responsável governamental em Tóquio advertiu para os perigos de "movimentações especulativas e violentas" no mercado cambial. 

26 de junho de 2016 às 21:18
PEV diz que referendo é "coisa demasiado séria" para ser usado como "chantagem"

A deputada do PEV Heloísa Apolónia considerou que o instrumento do referendo é "uma coisa demasiado séria para ser entendido como uma forma de chantagem", sublinhando que neste momento Portugal se deve empenhar em "rejeitar liminarmente" eventuais sanções.

"O instrumento referendo é uma coisa demasiado séria para ser entendido como uma forma de chantagem", afirmou este domingo a deputada do partido ecologista Os Verdes, a propósito da posposta do BE para a realização de um referendo em Portugal sobre a Europa caso a Comissão Europeia avance com sanções por défice excessivo. 

26 de junho de 2016 às 21:00
Secretária Estado Assuntos Europeus diz que é preciso evitar "febre referendária"

A secretária de Estado dos Assuntos Europeus disse que este não é momento para consultas populares, sublinhando que é necessário evitar "uma febre referendária" em Portugal e nos outros Estados-membros da União Europeia.

"Não estamos em momentos de referendos e penso que o há que evitar é uma febre referendária, quer em Portugal, quer em outros Estados membros da União Europeia", afirmou Margarida Marques este domingo, quando questionada sobre as declarações da coordenadora do BE, que disse hoje que se a Comissão Europeia avançar com sanções contra Portugal por défice excessivo o partido colocará na agenda um referendo em Portugal sobre a Europa. 

26 de junho de 2016 às 19:10
imigrantes

Segundo o The Telegraph, milhares de imigrantes estão a planear um dia de protestos no Reino Unido, uma vez que exigem "garantia de protecção legal" após a votação na saída do Reino Unido.

O protesto está marcado para 4 de Julho na Trafalgar Square, em Londres. Mais de 10 mil pessoas confirmaram a participação e outras 24 mil demonstraram interesse em marcar presença.


O protesto vai exigir "acção urgente" do governo britânico para "garantir que as nossas vidas não serão severamente afectadas pelo resultado desta votação", pode ler-se. São dois milhões os cidadãos de países da União Europeia a viver no Reino Unido.


Nas redes sociais, multiplicam-se os eventos para manifestar o descontentamento com a decisão da passada quinta-feira.

26 de junho de 2016 às 17:57
Reacções políticas em Portugal quanto a um referendo à UE

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, defendeu que um referendo em Portugal sobre a continuidade do país na União Europeia – à semelhança do que aconteceu no Reino Unido – "é uma questão que não se põe". Até porque o país "sente-se bem e quer continuar na União Europeia", afirmou este domingo, 26 de Junho.


Também a líder do CDS-PP, Assunção Cristas, assumiu a mesma posição. "Não há nada para referendar", disse à saída de um encontro com o primeiro-ministro António Costa. Cristas pediu ainda uma saída rápida do Reino Unido.


Tal surgiu em resposta à posição demonstrada pela líder do Bloco de Esquerda durante a convenção do partido. Este domingo, Catarina Martins defendeu a realização de um referendo sobre a União Europeia no país se houver sanções a Portugal.

Por sua vez, o Partido Comunista Português (PCP) diz que o referendo "não é uma questão de fundo".

Também o Partido Socialista (PS) afasta um referendo europeu e não comenta reivindicações orçamentais. "Não nos parece que seja tempo para referendos", reagiu o actual Governo.

O PSD foi o último a reagir, recusando também um referendo. Passos Coelho recusa a ideia de realização de um referendo caso sejam impostas sanções por défice excessivo a Portugal.

26 de junho de 2016 às 17:27
liberal democrata

O partido Liberal Democrata britânico anunciou este domingo que vai concorrer às próximas eleições com um programa assente no regresso do Reino Unido à União Europeia.

O líder Tim Farron apelou aos britânicos insatisfeitos com o resultado do referendo de quinta-feira para se unirem ao partido com a "promessa clara e inequívoca de restaurar a prosperidade e o papel dos britânicos no mundo, com o Reino Unido dentro da União Europeia".


Para Farron, muitos cidadãos votaram a saída do Reino Unido da União Europeia "com base em mentiras".

26 de junho de 2016 às 17:24
País de Gales não quer bloqueio ao Brexit

O primeiro-ministro do País de Gales, Carwyn Jones, rejeitou a ideia de um bloqueio à saída do Reino Unido da União Europeia, depois do referendo da passada quinta-feira. O também líder do Partido Trabalhista do País de Gales afirmou que os políticos ignorarem o resultado do referendo – a saída do Reino Unido do bloco europeu – só "piorará a actual crise política".

"Não vamos apoiar nada que prejudique o País de Gales", afirmou citado pela BBC. As declarações surgem depois de a primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, ter sugerido um veto ao Brexit.


Ao contrário da Escócia, o País de Gales votou pela saída do Reino Unido do espaço comunitário, com 52.5% dos votos.

26 de junho de 2016 às 17:03
governador

O Governador do Banco de Inglaterra é um dos convidados do Fórum do BCE em Sintra, mas, perante o resultado do referendo britânico à União Europeia, Carney não se juntará a Mario Draghi e a Janet Yellen.

26 de junho de 2016 às 16:58
Dez saídas no Partido Trabalhista

Depois das ameaças, as confirmações. Dez dirigentes do Partido Trabalhista apresentaram já a sua demissão, em protesto contra a liderança de Jeremy Corbyn (na foto). O anúncio surge depois de Hilary Benn, responsável pelos Negócios Estrangeiros, ter sido despedido por ter revelado a sua falta de confiança no líder trabalhista.

Deste modo, abre-se uma crise no principal partido da oposição no Reino Unido. Corbyn é acusado de não ter sido eficaz na campanha pela continuação do Reino Unido na União Europeia, com alguns membros do partido a falarem mesmo em "sabotagem".  

 

Uma sondagem para o Mail on Sunday, citada pelo The Guardian, revela que a maioria dos eleitores e dos votantes no Partido Trabalhista defendem que Jeremy Corbyn deverá abandonar a liderança do partido. Alguns colegas do partido já vieram dar força a este cenário.

 

Quem se demitiu e que áreas representavam?

Heidi Alexander – Saúde

Lucy Powell – Educação

Kerry McCarthy – Ambiente

Lilian Greenwood – Transportes

Ian Murray – Escócia

Seema Malhotra – Tesouro

Gloria de Piero – Juventude

Vernon Coaker – Irlanda do Norte
Charles Falconer - Justiça

Karl Turner - Procuradoria-geral


26 de junho de 2016 às 16:21
Secretário de Estado norte-americano visita Bruxelas e Londres

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, vai estar em Bruxelas e Londres depois do referendo britânico da passada quinta-feira. Kerry vai encontrar-se esta segunda-feira, 27 de Junho, com a chefe da diplomacia europeia, Frederica Mogherini, em Bruxelas.

Segue, depois, para Londres, para uma reunião com o homólogo britânico, Philip Hammond, e outros membros do Governo britânico que está ainda em funções.

Também para esta segunda-feira está marcado o encontro entre a chanceler alemã, Angela Merkel, o presidente francês, François Hollande, o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, e o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk.

Para esta reunião em Berlim, a chanceler não convidou o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker. Tusk e Juncker têm defendido abordagens diversas quanto àquela que deve ser a resposta à decisão britânica. O polaco pede calma e ponderação enquanto o luxemburguês tem insistido na necessidade de o Brexit ser formalizado o quanto antes para evitar o avolumar da incerteza. 

26 de junho de 2016 às 16:04
Petição para segundo referendo já tem três milhões de assinaturas

A petição para que seja realizado um segundo referendo sobre a continuação do Reino Unido na União Europeia já atingiu os três milhões de assinaturas.

Esta petição defende que os resultados só devem ser considerados válidos se 75% dos eleitores votarem e uma das posições obtiver 60% dos votos.

O último referendo contou com uma afluência às urnas de 72%. A opção do Brexit recebeu 51,9% dos votos. 

A Câmara dos Comuns do Reino Unido já anunciou que está a investigar se existirá fraude no número de assinaturas, pelo que as assinaturas que revelem irregularidades serão removidas.

Já foram removidas 77 mil assinaturas.


26 de junho de 2016 às 15:48
Parlamento escocês pode vetar Brexit

A primeira-ministra escocesa, Nicola Sturgeon, avisou este domingo que vai dar indicações ao Parlamento escocês para que chumbe todas as leias cuja aprovação seja necessária de forma a concretizar a saída do Reino Unido da União Europeia (UE). 

Em entrevista à BBC, a também líder do nacionalista SNP garantiu ser "evidente" que dirá para os deputados escoceses para não darem o seu "consentimento legislativo" às alterações necessárias. Logo na sexta-feira Sturgeon reagiu aos resultados do referendo (na Escócia venceu com larga margem o sim à permanência) dizendo que estão criadas as condições para o país realizar outro referendo, desta feita sobre a continuação na UE.

Em Setembro do ano passado, os escoceses decidiram, também em referendo popular, continuar a integrar o Reino Unido.  Mas tal decisão pode agora ser diferente tendo em conta o europeísmo dos eleitores escoceses. Por outro lado, nas eleições para o Parlamento escocês realizadas em Maio, apesar da vitória o SNP ficou aquém da pretendida maioria absoluta (elegeu 63 do total de 129), o que poderá dificultar a intenção hoje anunciada por Sturgeon em entrevista à BBC. 

"Pergunta-me se é preciso que na Escócia exista uma ou mais moções de consentimento para que a legislação que extirpa o Reino Unido da União Europeia avance? Numa perspectiva lógica parece-me difícil que isso não seja necessário, mas suponho que o Governo do Reino Unido tenha uma visão diferente. Veremos depois qual será o desfecho dessa discussão", disse Nicola Sturgeon.




26 de junho de 2016 às 15:42
Extrema-direita austríaca sugere saída da União Europeia

Depois do Reino Unido, também a Áustria poderá sair da União Europeia. Norbert Hofer, do partido de extrema-direita Partido da Liberdade, avisa que ou Bruxelas evita avançar para uma "centralização" política ou o país poderá referendar a sua continuação no bloco europeu.

O chanceler austríaco Christian Kern já veio referir que a Áustria não levará em frente um referendo sobre este tema.

26 de junho de 2016 às 15:42
Manuel Valls defendeu União Europeia menos intrusiva

O primeiro-ministro francês, Manuel Valls, defendeu que a União Europeia deve deixar de ser picuinhas e intrusiva, na sequência do referendo que ditou a saída do Reino Unido do bloco europeu.

"Temos de pôr fim a esta Europa triste e exigente. Muitas vezes é intrusiva em detalhes e desesperadamente ausente no que é essencial ", afirmou citado pela Reuters.

26 de junho de 2016 às 15:33
Uma pequena manifestação a favor de Corbyn

Decorre em Londres, junto aos escritórios do Partido Trabalhista na capital inglesa, uma pequena manifestação a favor de Jeremy Corbyn, eleito líder do partido há menos de um ano. Jacob Rety (na foto) diz que Corbyn é extraordinário e cheio de energia. Diz ainda que o partido devia estar Concentrado em derrotar os conservadores nas próximas eleições.

Nesta manifestação os apoiantes de Corbyn mostram a sua solidariedade com o líder do partido, que tem sofrido pressões para se afastar. Jacob Rety mostra o cartaz Keep Corbyn e vai dizendo ao Negócios que o Labour se devia unir para derrotar os conservadores nas próximas eleições.

"Deve ser mantido", diz garantindo que a rua está com Corbyn. E isso mesmo quiseram demonstrar esta dezena de pessoas. Jacob aproveita para criticar os media, em particular a BBC, que diz que tem sido parcial, especialmente em relação ao Partido Trabalhista. "Ele tem mandato" para a liderança, lembra, dizendo que o Labour pode ser a verdadeira alternativa nas próximas eleições. E elogiou Corbyn pela campanha que fez, mas os media não o seguiram, diz. Corbyn não esteve ao lado de Cameron na campanha do Remain.

Anteriormente Corbyn já tinha deixado algumas críticas à UE e, por isso, o seu menor empenho na campanha foi visto como consequência do seu menos fervoroso pro-europeísmo. 

26 de junho de 2016 às 12:53
Brexit pode beneficiar conservadores em Espanha

Os espanhóis em Londres não têm tarefa fácil para votar nas eleições do seu país.  Três dias depois do referendo no Reino Unido, mostram-se apreensivos e mais do que isso decepcionados. E admitem que o Brexit pode beneficiar os conservadores em Espanha. A enviada especial do Negócios falou com vários espanhóis em Londres. Leia aqui a reportagem.

26 de junho de 2016 às 11:32
Gove apoia Boris Johnson. Osborne pode avançar

Dois dos principais rostos do apoio ao Brexit nos Conservadores estarão também alinhados na escolha da liderança do partido. De acordo com o Financial Times, Michael Gove apoia  Boris Johnson para substituir David Cameron.

Apesar de ser encarado como o favrito, o antigo presidente da Câmara de Londres não terá caminho aberto até à liderança do partido. Segundo o jornal britânico, Theresa May é uma propável opositora de Boris, tendo o apoio dos que nos conservadores eram favoráveis ao "remain".

Na imprensa inglesa especula-se quem serão os candidatos "stop Boris" e o nome do actual ministro das Finanças, George Osborne, é um dos apontados.

O Guadian adianta que os aliados de Osborne vão esta semana sondar os deputados dos "tories" para avaliar se o ministro das Finanças, apesar de ter defendido o "remain", tem hipóteses de derrotar Boris.

De acordo com o mesmo jornal, Boris deverá anunciar já esta semana que é candidato para substituir Cameron. O primeiro-ministro britânico anunciou que sairá em Outubro.

26 de junho de 2016 às 11:13
Espanhóis votam em Londres

No consulado em Espanha chegam alguns espanhóis para votar. Sidali esta a trabalhar há ano e meio em Londres e depois tem de ponderar o que fará. Dentro de dois anos. Acha que o Brexit não terá efeitos nas eleições em Espanha.

26 de junho de 2016 às 10:49
Mais de metade dos escoceses querem independência

Mais de metade (52%) dos escoceses querem agora a independência, depois de o Reino Unido ter decidido deixar a União Europeia, segundo uma sondagem divulgada hoje.

A sondagem da Panelbase para o Sunday Times conclui que 52% dos inquiridos defendem a independência da Escócia do Reino Unido, enquanto 48% estão contra, relata a Lusa.

A Escócia rejeitou a independência num referendo realizado em 2014, mas a primeira-ministra Nicola Sturgeon admitiu já que uma segunda ida às urnas é "altamente provável", para a evitar que os escoceses sejam forçados a sair da União Europeia contra a sua vontade.

26 de junho de 2016 às 10:49
Primeiro-ministro recebe hoje partidos para preparar Conselho Europeu

O primeiro-ministro recebe hoje, na residência oficial, em São Bento, os partidos com representação parlamentar para preparar o Conselho Europeu de terça e quarta-feira, depois do resultado do referendo britânico favorável à saída da União Europeia.

O PCP é o primeiro partido a ser recebido, pelas 14:30, seguindo-se, com intervalos de 45 minutos, o CDS-PP, "Os Verdes", o Bloco de Esquerda e o PSD.


Na segunda-feira, ao fim da manhã, António Costa estará nas Jornadas Parlamentares do PS, em Ponta Delgada (Açores), razão pela qual o seu partido não consta da lista de audiências de domingo.

26 de junho de 2016 às 10:47
Partido Trabalhista em guerra

De acordo com a BBC, metade da direcção do partido trabalhista está a preparar a demissão. Numa tentativa de forçar a resignação de Jeremy Corbyn. Isto segue-se à informação da demissão do ministro dos Negócios Estrangeiros sombra, Hilary Benn. Este responsável declarou que num telefonema a Corbyn lhe disse que tinha "perdido confiança na sua habilidade para liderar o partido e ele demitiu-se". Segundo a imprensa inglesa, Corbyn afastou este elemento por ter tentado um golpe de estado no partido.


À BBC, este responsável acaba de dizer que é muito importante que continuemos a ter acesso ao mercado único. E o partido precisa de alguém de confiança. A decisão, diz em relação ao referendo, está tomada. Há que respeitar. Este responsável garante ainda que não é candidato à liderança do partido. Mas o país precisa de uma oposição forte.

Os jornais inglesas vão citando fontes ligadas a Corbyn dizendo que ele não se demitirá.

26 de junho de 2016 às 10:46
arranque

Bom dia. O Negócios retoma aqui a cobertura do impacto do referendo no Reino Unido, a partir de Lisboa e Londres, onde continua a enviada especial Alexandra Machado. 

25 de junho de 2016 às 23:41
final de sabado

O Negócios termina por hoje a cobertura do rescaldo do referendo do Reino Unido. Este domingo continurá aqui a relatar ao minuto, a partir da redacção e de Londres, através da nossa enviada especial Alexandra Machado.

25 de junho de 2016 às 23:38
Segundo referendo com mais de 2 milhões de apoiantes

petição para um segundo referendo já tinha recolhido 2,5 milhões de assinaturas ao final deste sábado, com o número a duplicar ao longo do dia.

Contudo, de acordo com um dos "maiores especialistas" britânicos em assuntos eleitorais identificado pelo Guardian, um novo referendo é "improvável".

John Curtice, que foi o responsável pela única sondagem que apontou para a vitória dos conservadores no ano passado, considera que este assunto gera tantas clivagens entre os principais partidos e os seus apoiantes que será "improvável" uma nova campanha sobre o assunto durante algum tempo.

No referendo de quinta-feira, 17,4 milhões de pessoas votaram a favor da saída do Reino Unido da União Europeia, o que corresponde a 51,9% dos votos. A participação foi de 72,2%.

25 de junho de 2016 às 23:34
Soros: Desintegração da União Europeia "praticamente irreversível

George Soros pediu este sábado a reconstrução da União Europeia, de modo a que possa ser salva, ainda que considere que a vitória do Brexit "torne a desintegração da União Europeia como praticamente irreversível".


"O Reino Unido pode ou não ficar relativamente melhor fora do que outros países ao sair da União Europeia, mas o povo britânico vai sofrer significativamente no curto a médio prazo", refere Soros num comentário colocado no site Project Syndicate.

25 de junho de 2016 às 22:09
"Sell-off" nos mercados vai ser de curta duração

O anterior economista-chefe do FMI, Olivier Blanchard, acredita que a turbulência nos mercados devido ao Brexit ficou restringida à sessão de sexta-feira e que não vão repetir-se as situações de pânico.


A menos que "as bombas financeiras ainda não detonadas estejam à beira de explodir", o "sell-off"que se viveu nos mercados vai ser de curta duração, diz Blanchard, advertindo contudo que os "mercados podem decidir que algum país periférico do euro seja o próximo perigo e exijam ‘spreads’ muito mais elevados nos títulos de dívida".


"Se, contudo, numa semana ou duas ninguém fizer nada de estúpido, e os bancos centrais mantiverem as coisas sob controlo, espero que a aversão ao risco desça de forma devagar, os mercados e as moedas recuperem e o fogo fique concentrado no Reino Unido, ou na União Europeia", referiu, citado pelo Financial Times.

25 de junho de 2016 às 19:02
País de Gales "remain" no Europeu

Gales e Irlanda Norte jogam no Europeu. Dois países onde o resultado do referendo foi diferente. Gales escolheu sair. Irlanda do Norte preferia ficar. Mas nas decisões do Europeu é Gales que "remain". Irlanda do Norte, pela segunda vez numa semana, queria ficar mas saiu-lhe o "leave". O europeu fica menos animado.

25 de junho de 2016 às 19:01
Referendo na manifestação LGBT em Londres

Hoje em Londres foi dia de manifestação LGBT. A cidade está pintada com a bandeira arco-íris. Claire Dymiond, orgulhosamente agora uma bandeira da União Europeia, com as estrelas pintadas com as cores arco-íris. Diz que chorou quando soube o resultado do referendo. E diz esperar que a União Europeia se concerte para o Reino Unido poder regressar. Até lá será europeia de alma e coração. Mas está contra novo referendo, como muitos estão já a pedir.

25 de junho de 2016 às 18:44
Bancos centrais atentos

A vitória do Brexit marca a agenda da reunião anual do Banco Internacional de Pagamentos (BIS, na sigla em inglês), em Basileia, na Suíça. Agustin Carstens, do banco central do México, afirmou que o BIS aprovou a acção coordenada dos bancos centrais em resposta ao resultado do referendo no Reino Unido.

Num comunicado citado pelo Financial Times, o BIS diz que os governadores dos bancos centrais "discutiram as implicações do referendo no Reino Unido" e aprovaram "as medidas de contingência implementadas pelo Banco de Inglaterra e enfatizaram a preparação dos bancos centrais para apoiarem o normal funcionamento dos mercados financeiros".

"Os bancos centrais vão cuidadosamente monitorizar o funcionamento e a estabilidade dos mercados e cooperar de forma próxima", acrescenta.  

25 de junho de 2016 às 17:31
Sarkozy defende que a França deve impulsionar um novo tratado europeu

O ex-presidente francês Nicolas Sarkozy disse hoje que a União Europeia atravessa uma crise que vai além do referendo que determinou a saída do Reino Unido e defendeu que a França deve impulsionar um novo tratado europeu.

Após reunir-se no Palácio do Eliseu com o presidente francês, o líder do partido conservador disse aos jornalistas que esta foi a principal mensagem que transmitiu a François Hollande, que hoje iniciou uma ronda de conversações com os partidos políticos, após o resultado do referendo de quinta-feira que ditou a saída do Reino Unido da União Europeia.

"Disse ao Presidente como considero vital que a França tome uma iniciativa muito forte para colocar as bases de um novo tratado intergovernamental", afirmou. Sarkozy criticou o actual funcionamento da UE e assinalou que um novo tratado é necessário "para que o conjunto dos povos da Europa compreendam que foram escutados".

Entre as criticas a Bruxelas, o ex-presidente francês disse que "não há mais [espaço] Schengen, não há a garantia das fronteiras" e que "a zona euro funciona muito mal". "As competências da Europa são muitas", acrescentou Sarkozy, que pediu para que fosse transformada "esta crise histórica" numa oportunidade "para que a Europa recupere e controle o seu destino".

25 de junho de 2016 às 16:56
Didier Seeuws vai liderar equipa da UE nas negociações da saída britânica

O diplomata belga Didier Seeuws foi nomeado pela União Europeia para dirigir a equipa encarregada de negociar a saída do Reino Unido da UE, indicam a AFP e a EFE, que citam fontes comunitárias não identificadas, noticia a Lusa.

Seeuws, de 50 anos, era até agora director dos departamentos do Transporte, Telecomunicações e Energia do Conselho Europeu.

O diplomata belga foi porta-voz do antigo primeiro-ministro liberal belga, Guy Verhofstadt, atualmente deputado europeu, e também chefe de gabinete do compatriota Herman van Rompuy, primeiro presidente permanente do Conselho Europeu, até novembro de 2014.

25 de junho de 2016 às 16:42
promessas

Os rostos da campanha pelo "leave" começam agora a fazer marcha-atrás em algumas das promessas que fizerem nos últimos dias, de acordo com o Guardian e a também a Bloomberg.   

Nigel Farage, do Ukip, distanciou-se da proposta de direccionar para o Serviço Nacional de Saúde os 350 milhões de libras que são enviados para a União Europeia.

Daniel Hannan, deputado dos trabalhistas que apoiou o Brexit, admitiu que apesar da saída da União Europeia, o nível de emigração não deverá mudar. 

25 de junho de 2016 às 16:26
Líderes europeus são os culpados, diz Tsipras

O primeiro-ministro grego não culpa o povo britânico por ter escolhido sair da União Europeia, optando antes por pontar baterias aos líderes europeus.

A vitória do Brexit deve-se às "deficiências crónicas" dos líderes europeus e à sua insistência nas políticas de austeridade que alimentam o populismo e o nacionalismo na Europa, disse Tsipras num comício do Syriza.  

"Por muito que a decisão do povo britânico nos entristeça, tem que ser respeitada. Não podemos colocar as culpas no povo britânico … quando as fronteiras permanecem abertas às políticas de austeridade mas permanecem fechadas para as pessoas", acusou. 

25 de junho de 2016 às 16:08
Corbyn não se demite

O líder do partido trabalhista, Jeremy Corbyn, afirmou este sábado que não se quer demitir na sequência dos resultados do referendo. Corbyn tem sido criticado por alguns dirigentes do seu partido que o acusam de não ter feito um esforço adequado na campanha pela permanência na União Europeia.

 

Questionado se voltaria a candidatar-se a líder do principal partido da oposição, respondeu: "Sim, estou aqui".

 

"Há algumas pessoas no partido trabalhista… Que provavelmente queriam outro líder, deixaram isso bem claro", disse. "Mas o que me surpreendeu foi o facto de nas passadas 2 horas 140 mil pessoas terem dito que não querem que o partido passe os próximos dois meses a debater a liderança", acrescentou, citando uma petição que pede que Corbyn continue à frente do partido.

25 de junho de 2016 às 16:07
Divórcio vai ser doloroso

O presidente francês, François Hollande, adoptou uma posição mais dura do que Merkel acerca das negociações para a saída do Reino Unido da União Europeia. "Vai ser doloroso para os britânicos, mas … tal como em todos os divórcios, também vai ser duro para aqueles que ficam".

O ministro da Economia francês, Emmanuel Macron, defendeu que a União Europeia deveria repensar um novo projecto europeu e depois levá-lo a referendo junto dos cidadãos europeus. Uma posição que não está em linha com o que tem vindo a ser defendido pelo presidente e primeiro-ministro do país. 

25 de junho de 2016 às 15:47
Já há 1,6 milhões de britânicos a pedir um segundo referendo, que será "improvável"

A petição para um segundo referendo  já tinha recolhido 1,6 milhões de assinaturas às 15:30 deste sábado mas o número cresce de forma significativa de hora para hora.

Contudo, de acordo com um dos "maiores especialistas" britânicos em assuntos eleitorais identificado pelo Guardian, um novo referendo é "improvável".

John Curtice, que foi o responsável pela única sondagem que apontou para a vitória dos conservadores no ano passado, considera que este assunto gera tantas clivagens entre os principais partidos e os seus apoiantes que será "improvável" uma nova campanha sobre o assunto durante algum tempo.

No referendo de quinta-feira, 17,4 milhões de pessoas votaram a favor da saída do Reino Unido da União Europeia, o que corresponde a 51,9% dos votos. A participação foi de 72,2%.

25 de junho de 2016 às 15:07
Merkel: Processo "não pode durar uma eternidade" mas também não pode ser muito rápido  

Enquanto os ministros dos negócios estrangeiros, incluindo o alemão, pedem rapidez no processo de saída Reino Unido, Angela Merkel assume uma postura mais ponderada.

 

"Sinceramente, não pode demorar uma eternidade, isso é verdade, mas não defendo que seja num curto espaço de tempo", afirmou, numa conferência de imprensa do seu partido, citada pela agência Reuters.

 

A declaração contrasta com a pressa evidenciada pelo presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e pelos ministros dos negócios estrangeiros dos seis países fundadores da Comissão Europeia, incluindo o alemão. A posição foi assumida em comunicado após uma reunião em Berlim, convocada pela Alemanha.

25 de junho de 2016 às 15:06
cameron

Cameron foi esta manhã aplaudido quando participou num evento das forças armadas, em Lincolnshire, reporta o Guardian. O primeiro-ministro não voltou a falar sobre o resultado do referendo desde que apresentou a demissão na manhã de ontem. No Twitter colocou um vídeo onde apoia a manifestação Pride London, organizada pela comunidade LGBT.

25 de junho de 2016 às 14:43
Marcelo diz que situação na Europa é diferente depois do referendo

O Presidente da República considerou que a situação que existia na Europa antes do referendo de quinta-feira que deu a 'vitória' à saída do Reino Unido da União Europeia (UE) é diferente daquela que existe hoje.

"Há uma Europa antes da votação de ontem, há uma Europa depois da votação de ontem e, portanto, há em certos aspectos um Portugal antes da votação de ontem e um Portugal depois da votação de ontem", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, em declarações aos jornalistas em Mafra, no final de uma homenagem ao general Ramalho Eanes.

Adiantando que tenciona "oportunamente" falar aos portugueses sobre o assunto, Marcelo Rebelo de Sousa escusou-se a comentar o facto de Portugal ter ficado de fora dos membros escolhidos para se reunirem no sentido de encontrar uma solução para a situação.

"Não se deve esperar de quem defende solidariedade europeia que contribua para, com a sua palavra, afectar, limitar ou condicionar a solidariedade europeia", referiu.

25 de junho de 2016 às 14:41
PPM quer realização de referendo em Portugal

O Partido Popular Monárquico (PPM) defendeu hoje a realização de um referendo em Portugal sobre o processo de integração na União Europeia (UE), alegando que "quase todos os povos europeus já foram chamados a pronunciar-se".

"A integração de Portugal na União Europeia nunca foi sufragada directamente pelo povo português. Portugal constitui uma excepção chocante no contexto de uma Europa em que quase todos os povos europeus já foram chamados a pronunciar-se sobre o processo de integração dos seus respectivos países", sustenta um comunicado assinado pelo presidente da comissão politica nacional do PPM, Paulo Estêvão, enviado à Lusa.

25 de junho de 2016 às 14:41
blair

O ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair afirmou que o resultado do referendo britânico a favor da saída do Reino Unido da União Europeia "mostra que os movimentos insurgentes da política podem assumir o controlo de um país".

"Entramos numa era de uma imprevisibilidade insólita", avisou Blair, num encontro com vários jornalistas estrangeiros em Londres, segundo publicou hoje o diário espanhol El País.

O ex-primeiro-ministro trabalhista (1997-2007) reconheceu que o projecto europeu "enfrenta um desafio enorme" e aqueles que acreditam nele devem "dar um passo em frente e defender uma verdadeira reforma". Blair observou que as consequências do resultado do referendo "são imensas" e "requer uma profunda reflexão sobre o futuro da política de centro".

25 de junho de 2016 às 14:40
escocia

O Governo escocês reclama discussões imediatas com Bruxelas para "proteger o seu lugar na União Europeia" depois da saída do Reino Unido, declarou hoje a primeira-ministra Nicola Sturgeon, após uma reunião de urgência em Edimburgo.

O executivo escocês vai também preparar desde já o quadro legislativo que permita a realização de um segundo referendo sobre a independência desta região semi-autónoma do Reino Unido, acrescentou Sturgeon.

25 de junho de 2016 às 14:35
Director da campanha pelo "Leave" não quer apressar saída da UE

O Reino Unido deve avançar para negociações informais com a União Europeia antes de invocar o artigo 50ª do Tratado de Lisboa e concretizar a saída, afirmou o director da campanha pelo "Leave" ("saída"), em entrevista à Reuters.

"Achamos que não é preciso invocar rapidamente o artigo 50º", afirmou Matthew Elliot, citado pela agência de notícias. "É melhor deixar assentar a poeira durante o Verão e durante esse período ter negociações informais com outros estados", acrescentou.

Os ministros dos seis países fundadores da União Europeia defenderam este sábado, em comunicado, que esperam que o governo britânico garanta de imediato "clareza" e que concretize a decisão que saiu do referendo "tão depressa quanto possível". 

25 de junho de 2016 às 14:34
Comissário Europeu britânico demite-se

O comissário Europeu britânico Jonathan Hill anunciou este sábado que se demite na sequência do referendo, mostrando-se "muito desapontado" com o resultado. "Uma vez que passámos para uma nova fase, não creio que esteja certo prosseguir como comissário britânico como se nada tivesse acontecido", afirmou o até aqui responsável pela pasta da estabilidade financeira, serviços financeiros e união dos mercados de capital. Hill foi nomeado por Cameron em 2014.

O letão Valdis Dombrovskis, comissário responsável pelo Euro e pelo Diálogo Social, vai assumir as pastas que estavam sob a responsabilidade de Jonathan Hill.

25 de junho de 2016 às 14:34
Ministros pedem saída "tão depressa quanto possível"

Os ministros dos Negócios Estrangeiros dos seis países fundadores da União Europeia sublinharam este sábado a relevância da decisão do referendo britânico e pediram que o Reino Unido que esclareça de imediato qual como se vai relacionar com a União Europeia. Num comunicado conjunto que se seguiu a uma reunião em Berlim, os ministros da Alemanha, da Bélgica, da Holanda, da Itália, do Luxemburgo e de França disseram que esperam que o governo britânico garanta "clareza" e que concretize a decisão que saiu do referendo "tão depressa quanto possível".

"Como consequência da decisão do povo britânico, o acordo alcançado no Conselho Europeu de 18 e 19 de Fevereiro deixa de existir. Esperamos agora que o governo do Reino Unido clarifique e concretize esta decisão tão depressa quanto possível". Considerando que o artigo 50º do Tratado de Lisboa permite uma saída ordenada, os seis países mostraram-se prontos para começar para trabalhar com as instituições assim que as negociações arranquem.

25 de junho de 2016 às 13:48
City de Londres pode ficar isolada da Europa, diz BCE  

A City de Londres pode perder o lucrativo "passaporte" que permite vender serviços ao resto da União Europeia, afirmou um membro do conselho de governadores do Banco Central Europeu. François Villeroy de Calhau disse que não será possível manter esse "passaporte" se o Reino Unido abandonar o mercado único de bens e serviços. O membro do conselho de governadores também reforçou os apelos à rapidez nas negociações, avisando que é a economia britânica que mais pode sofrer.

25 de junho de 2016 às 13:06
Os melhores Cartoons

O site Político reuniu os melhores cartoons sobre o referendo no Reino Unido. Veja aqui a selecção.

25 de junho de 2016 às 12:50
Extrema direita da Eslováquia quer referendo

Um partido de extrema direita da Eslováquia anunciou que vai lançar uma petição para um referendo sobre a permanência do País na União Europeia, de acordo com a Reuters.

Partidos em Itália e França também querem referendar presença na UEA vitória da saída britânica da União Europeia no referendo sobre o Brexit já derivou nos primeiros e previsíveis sinais de potencial desagregação do Reino Unido. Na Escócia e Irlanda do Norte, onde venceu claramente o sim à UE, já se fala em referendo independentista. 

25 de junho de 2016 às 12:43
Mais de um milhão de britânicos pede segundo referendo

Mais de um milhão de britânicos já assinaram a petição que pede um segundo referendo sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia, de acordo com as agências. Seriam apenas necessárias 100 mil assinaturas para que a petição fosse discutida no Parlamento. 

Esta sexta-feira, a página do chegou a colapsar devido ao elevado número de tentativas de acesso. A opção de saída ganhou o referendo de quinta-feira com 
17,4 milhões de votos, 51,9% do total.

25 de junho de 2016 às 12:40
Alemanha: "Não devemos actuar como se tivéssemos todas as respostas"

Mais cauteloso, o ministro dos Negócios Estrangeiros Alemão, Frank Walter Steinmeier, que convocou a reunião dos responsáveis pela diplomacia dos seis países fundadores da EU, este sábado, em Berlim, afirmou aos jornalistas que é essencial evitar o histerismo e a paralisia. "Temos agora uma situação que não permite histerismo nem paralisia", disse, acrescentando que os líderes da União Europeia devem resolver os problemas das migrações, segurança e emprego. "Não devemos cair em actividade frenética, agindo como se tivéssemos todas as respostas. Mas depois da decisão britânica [também] não podemos cair na depressão e na inactividade", disse.

25 de junho de 2016 às 12:31
Juncker: "Não é um divórcio amigável"

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse ao jornal alemão Bild que o Reino Unido tem de considerar que tipo de relação é que quer com a União Europeia, mas acrescentou que a Alemanha não pode definir os termos. "Fora é fora", acrescentou. "Agora a prioridade é um divórcio limpo porque os cidadãos e os negócios precisam de certeza jurídica". 

"Não é um divórcio amigável", tinha dito o presidente da Comissão Europeia, na sexta-feita à noite, à antena de televisão alemã ARD. "Não percebo porque é que o Governo britânico precisa de esperar até ao mês de Outubro para decidir se envia ou não a carta de divórcio para Bruxelas. Eu gostaria de a receber imediatamente", insistiu.

 

25 de junho de 2016 às 12:30
França e Alemanha querem saída rápida

O ministro das finanças francês defendeu este sábado que a União Europeia deve fechar rapidamente os termos da saída do Reino Unido, argumentando que os restantes 27 países arriscam que o populismo se imponha.

"As negociações têm de ser rápidas", afirmou Jean-Marc Ayrault, em Berlim, à entrada da reunião dos ministros dos negócios estrangeiros dos seis países fundadores da União Europeia. Frank-Walter Steinmeier, o anfitrião alemão da reunião, revelou que os seis países concordam que Londres deve iniciar rapidamente os procedimentos de saída. "Estamos unidos na afirmação de que este processo deve iniciar-se tão depressa quanto possível, para que não nos vejamos num limbo prolongado e possamos focar-nos e trabalhar no futuro da Europa", afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, citado pelas agências.

25 de junho de 2016 às 12:29
Primeiro-ministro recebe partidos no domingo para preparar Conselho Europeu  

O primeiro-ministro recebe no domingo, na residência oficial, em São Bento, os partidos com representação parlamentar para preparar o Conselho Europeu de terça e quarta-feira, depois do resultado do referendo britânico favorável à saída da União Europeia. 

Os britânicos decidiram sair da União Europeia e agora os líderes europeus querem que Brexit se concretize o mais rápido possível. Hoje há reunião entre os ministros dos Negócios Estrangeiros dos seis países da União Europeia e haverá muitas declarações ao longo do dia. Acompanhe aqui ao minuto o rescaldo de uma votação que promete mudar a Europa.

25 de junho de 2016 às 12:28
Catarina Martins: "Não é o momento dos países saltarem com cartadas de referendos"

A porta-voz do BE, Catarina Martins, considerou hoje que "este não é o momento dos países saltarem com cartadas de referendos", mas de "pôr em cima da mesa alternativas pensadas" para depois haver "espaços que possam ter legitimidade democrática".

25 de junho de 2016 às 12:27
Boris Jonhson, o homem que quer suceder a David Cameron  

Já foram grandes amigos, depois desentenderam-se e acabaram um a defender o Brexit e outro o Bremain. Boris é polémico e controverso, mas é também um dos políticos mais populares do seu país. E quer chegar ao nº 10 de Downing Street. Leia o perfil de um dos principais protagonistas do Brexit.

25 de junho de 2016 às 12:26
Leis europeias continuam a aplicar-se no Reino Unido até à saída formal

Só por si, o referendo não muda nada em termos jurídicos. As leis da União Europeia vão continuar a aplicar-se no Reino Unido até que as negociações estejam concluídas e quando o acordo de saída for aplicado, explica o advogado Nuno Antunes. Leia a entrevista

25 de junho de 2016 às 12:25
"Nada vai mudar para as pessoas nos próximos dois anos"

Em entrevista ao Negócios, Kirsty Hayes, embaixadora do Reino Unido em Lisboa, diz que a prioridade neste momento é tranquilizar pessoas e mercados. Leia aqui a entrevista.

25 de junho de 2016 às 12:24
Como foi o dia depois do referendo

O Negócios esteve a acompanhar ao minuto os desenvolvimentos do dia posterior ao referendo em que os britânicos decidiram sair da União Europeia. Veja aqui como aconteceu.

25 de junho de 2016 às 12:23
arranque

Os britânicos decidiram sair da União Europeia e agora os líderes europeus querem que Brexit se concretize o mais rápido possível. Hoje há reunião entre os ministros dos Negócios Estrangeiros dos seis países da União Europeia e haverá muitas declarações ao longo do dia. Acompanhe aqui ao minuto o rescaldo de uma votação que promete mudar a Europa.

24 de junho de 2016 às 19:18
perguntas & respostas sobre a saída do Reino Unido da UE

Tire as dúvidas sobre o resultado do referendo que promete ter forte impacto na Europa. Veja nove perguntas e respostas.




Notícias Relacionadas
Saber mais e Alertas
Momentos Chave
pub

Marketing Automation certified by E-GOI