A carregar o vídeo ...
Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo da Grécia: Aliados de Tsipras com cargos chave

A equipa governativa ainda não foi oficialmente anunciada mas a imprensa grega avança já com alguns nomes. O Governo pode tomar posse já esta terça-feira.

Alexis Tsipras terá agora a missão de liderar um Governo, em coligação
Reuters
Ana Laranjeiro alaranjeiro@negocios.pt 27 de Janeiro de 2015 às 10:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • 4
  • ...

Alexis Tsipras foi empossado primeiro-ministro esta segunda-feira, 26 de Janeiro. E esta terça-feira, 27 de Janeiro, pode ser a vez do seu Governo. Para já, oficialmente ainda não são conhecidos os nomes da equipa governativa. No entanto, o jornal helénico Kathimerini na edição em inglês, avança já alguns dos nomes possíveis. Sendo que, os elementos próximos do líder do Syriza e agora primeiro-ministro devem ter cargos importantes.

 

Nikos Pappas, um dos conselheiros mais próximos de Tsipras, escreve este jornal, deverá ser ministro de Estado, com a incumbência de coordenar os esforços do Executivo. E o porta-voz do partido, Panos Skourletis deverá ser o próximo ministro do Interior (idêntico à pasta da Administração Interna em Portugal).

 

Para vice-primeiro-ministro, Alexis Tsipras deverá escolher um elemento de topo do Syriza com experiência governamental: Yiannis Dragasakis. Economista, com 65 anos, Dragasakis, de acordo com alguns sites de informação gregos em inglês, foi membro do comité central do Partido Comunista grego até 1991 e participou no Governo de Xenophon Zolotas, como vice-ministro da Economia. Caber-lhe-á também a tarefa, segundo o Ekathimerini, de supervisionar a equipa económica do Governo e possivelmente as negociações com a troika.

 

O economista Yanis Varoufakis, tal como esta segunda-feira era já avançado, vai ser o ministro das Finanças. Algo que, entretanto, o próprio confirmou no seu blog.

 

E Giorgos Stathakis, também economista, deverá ficar com a tutela do ministério do Desenvolvimento. Rania Antonopoulou deverá ser a ministra do Trabalho. E a ala mais de esquerda do Syriza, conhecida por Plataforma de Esquerda, deverá ser representada no Executivo por Panayiotis Lafazanis, Dimitris Stratoulis e Nikos Hountis.

 

Os Gregos Independentes, partido com quem o Syriza coligou-se para ter a maioria absoluta no Parlamento, deverá ficar com a pasta da Defesa. Cargo que deverá ser ocupado pelo líder do partido, Panos Kammenos.

 

O ministério da Saúde, de acordo com a agência de informação da Grécia ANA, será liderado por Panagiotis Kouroumblis.

 

Numa entrevista a uma estação helénica, este membro do Syriza revelou que Alexis Tsipras telefonou-lhe esta segunda-feira para lhe atribuir a pasta da Saúde. A primeira coisa que irá fazer, afirmou, é falar com antigos ministros da Saúde.

 

Esta agência refere ainda que o novo Governo vai ser anunciado esta terça-feira.

 

Acordo "simples"

O jornal grego Kathimerini escreve que o acordo entre o Syriza e os Gregos Independentes foi "relativamente simples". Segundo fontes dos Gregos Independentes, este partido de direita aceitou apoiar as políticas económicas do Syriza desde que "o novo primeiro-ministro não avance com mudanças em áreas onde o partido de Kammenos tem objecções". E essas objecções incluem questões de política externa.

 

Por outro lado, o Syriza concordou em não levar a cabo, para já, os seus planos para separar a Igreja do Estado. Esta publicação aponta ainda que Kammenos deu o seu aval para que o Syriza leve ao Parlamento, o mais rápido possível, alguns projectos de lei. O primeiro poderá ser o do aumento do salário mínimo para 751 euros e a reintrodução de regulação de acordos colectivos de negociação salarial.

 

Por outro lado, outro projecto de lei que deverá chegar ao Parlamento rapidamente, de acordo com o jornal, é um que visa que os contribuintes tenham melhores condições para pagar os impostos em atraso. "Este projecto de lei prevê que os novos planos levem que 20 a 30% do rendimento anual dos contribuintes seja para pagar as suas dívidas", descreve o Kathimerini.

 

Reino Unido pronto para ajudar Grécia a cobrar impostos

 

David Cameron ofereceu a ajuda do Reino Unido à Grécia na cobrança de impostos. De acordo com o The Guardian, o primeiro-ministro britânico, numa conversa telefónica, felicitou Tsipras e dada a experiência britânica, ofereceu ajuda para uma transparência fiscal e para fazer com que os ricos paguem mais impostos.

Ver comentários
Saber mais Alexis Tsipras Nikos Pappas Panos Skourletis Administração Interna Portugal Yiannis Dragasakis Gregos Independentes Panos Kammenos Grécia Governo
Outras Notícias