Orçamento do Estado Governo vai manter metas "condizentes" com as que enviou para Bruxelas, diz CDS

Governo vai manter metas "condizentes" com as que enviou para Bruxelas, diz CDS

O ministro das Finanças, Mário Centeno, tem estado reunido durante toda a manhã com os partidos na Assembleia da República, a apresentar as linhas gerais do Orçamento do Estado para 2020.
Governo vai manter metas "condizentes" com as que enviou para Bruxelas, diz CDS
Bruno Simão
Margarida Peixoto 10 de dezembro de 2019 às 12:23
O ministro das Finanças deverá manter um cenário macroeconómico no Orçamento do Estado para 2020 próximo do que enviou para Bruxelas, a 15 de outubro. A indicação foi dada ao CDS, na reunião desta terça-feira, 10 de dezembro, sobre as linhas gerais da proposta.

Sem especificar os números, o ministro terá dito aos centristas que o enquadramento macroeconómico se aproxima do que foi inscrito no esboço de orçamento do Estado. O cenário é "condizente com o do esboço orçamental", disse Cecília Meireles, a deputada centrista.

Este documento indicava uma previsão de crescimento económico de 2%, e uma meta orçamental de saldo nulo. Porém, não incluía quaisquer medidas com impacto orçamental, estando construído num cenário de políticas invariantes.

Na altura, perante esses números, a Comissão Europeia pediu ao Governo português que apresentasse medidas de consolidação, nomeadamente de contenção da despesa, já que tal como estava desenhado o esboço não permitia cumprir as regras do braço preventivo do Pacto de Estabilidade e Crescimento.

No Programa de Estabilidade, apresentado em abril, o ministro das Finanças tinha apontado para um saldo excedentário, na ordem dos 0,3% do PIB, e para um crescimento de 1,9% do PIB.

Nenhum dos outros partidos que esteve já reunido com Mário Centeno esta manhã (PSD, BE e PCP) quis avançar os números do cenário macroeconómico que lhes terá sido transmitido, remetendo essa responsabilidade para o Executivo socialista.



pub

Marketing Automation certified by E-GOI