Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Juiz decreta prisão preventiva para marroquino suspeito de apoiar Estado Islâmico

  O juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal impôs hoje prisão preventiva ao cidadão marroquino, detido na Alemanha e entregue a Portugal, suspeito de adesão e apoio ao grupo extremista Estado Islâmico e recrutamento e financiamento ao terrorismo.

Bruno Simão/Negócios
Lusa 23 de Março de 2017 às 22:55
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

"O Ministério Público apresentou ao juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal o cidadão de nacionalidade marroquina hoje entregue às autoridades portuguesas. Realizado o interrogatório, o juiz decidiu, em consonância com o promovido pelo Ministério Público, aplicar ao arguido a medida de coacção de prisão preventiva", refere, em nota à comunicação social, a Procuradoria-Geral da República.

 

Segundo a Polícia Judiciária, o cidadão marroquino chama-se Abdel Tazitem, tem 63 anos, residiu na zona de Aveiro e foi detido na Alemanha no âmbito de um Mandado de Detenção Europeu (MDE) emitido pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal.

 

A Procuradoria-Geral da República adianta que o DCIAP está a investigar a "prática de crimes de adesão e apoio a organização terrorista internacional (Daesh-ISIS) e recrutamento e financiamento ao terrorismo".

 

A PJ, através da Unidade Nacional Contra Terrorismo, desenvolveu uma investigação, desde 2015, na qual colheu indícios que ligam dois homens, de nacionalidade estrangeira, ao terrorismo internacional, um dos quais foi agora detido e vai ser hoje interrogado por um juiz para aplicação das medidas de coacção.

 

O outro homem, que também residia na zona de Aveiro, foi detido em Novembro em França por suspeitas de terrorismo, juntamente com outros seis, e tinha autorização de residência em Portugal desde 2014.

 

Ver comentários
Saber mais Ministério Público juiz do Tribunal Central de Instrução Criminal Abdel Tazitem Procuradoria-Geral da República Aveiro Unidade Nacional Contra Terrorismo Polícia Judiciária
Outras Notícias