Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Republicano Paul Ryan pede a Trump para não avançar com tarifas

O líder da Câmara dos Representantes está "extremamente preocupado" com os efeitos de uma guerra comercial que possa surgir devido à imposição de tarifas sobre o aço e alumínio.

Reuters
Nuno Carregueiro nc@negocios.pt 05 de Março de 2018 às 18:38
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

Paul Ryan, o republicano que lidera a Câmara dos Representantes dos Estados Unidos, fez esta segunda-feira um apelo público ao presidente Donald Trump para recuar na imposição de tarifas sobre o aço e alumínio, temendo que a medida provoque uma guerra comercial.

 

Num raro confronto com Trump, o republicano aumenta a pressão sobre o presidente dos Estados Unidos para fazer marcha atrás numa medida que está a ser alvo de fortes críticas em todo o mundo e também no país.

 

"Estamos extremamente preocupados com as consequências de uma guerra comercial e por isso apelamos à Casa Branca para não avançar com este plano", afirmou a porta-voz de Ryan, Ashlee Strong. "A nova reforma fiscal impulsionou a economia e certamente não queremos colocar esses ganhos em causa", acrescentou.


Como nota a Bloomberg, são pouco habituais estes comunicados da porta-voz de Ryan, dado que o republicano sempre apoiou Trump, mesmo nos momentos mais difíceis do mandato do presidente dos EUA.

 

Ryan não é contudo o único republicano a contestar publicamente a iniciativa de Trump em aplicar tarifas sobre o aço e alumínio importado. Uma fonte do partido na Câmara dos Representantes disse à Reuters que os líderes do Congresso estão a estudar que medidas podem tomar para contrariar a iniciativa de Trump.

 

Donald Trump apresentou esta segunda-feira uma forma o México e o Canadá não serem afectados pelas tarifas às importações de aço e alumínio. Mas não sem uma contrapartida. Na sua conta na rede social Twitter, o presidente dos Estados Unidos disse que pode aplicar uma isenção ao México e ao Canadá, no que diz respeito às novas tarifas sobre estes metais, se os dois países assinarem um novo Tratado de Livre Comércio da América do Norte (NAFTA na sigla em inglês).

Ver comentários
Saber mais Ryan Câmara dos Representantes dos Estados Unidos presidente dos Estados Unidos Donald Trump tarifas
Mais lidas
Outras Notícias