Munich Re: Mercado dos seguros contra riscos cibernéticos aumentará 400% até 2025

"Os riscos cibernéticos são uma das maiores ameaças à economia interligada", advertiu o chairman da comissão de resseguros da Munich Re, Torsten Jeworrek.
Reuters
pub
Negócios 09 de setembro de 2018 às 18:39

O mercado segurador na área dos riscos cibernéticos vai crescer cinco vezes, para 20 mil milhões de dólres, nos próximos sete anos, antecipa a Munich Re. Isto porque a ameaça de ataques em larga escala aumenta com a maior interconectividade.

"Os riscos cibernéticos são uma das maiores ameaças à economia interligada", alertou numa conferência em Monte Carlo, este domingo, o chairman da comissão de resseguros da Munich Re, Torsten Jeworrek. "Não podemos ignorar isto", sublinhou.

Os custos económicos de ataques cibernéticos em larga escala, tal como aconteceu com o WannaCry [nome dado ao ciberataque de Maio do ano passado, que paralisou os sistemas de empresas e serviços públicos em todo o mundo, incluindo o Serviço Nacional de Saúde no Reino Unido], já excedem as perdas provocadas por desastres naturais, referiu o mesmo responsável, citado pela Bloomberg.

Uma vez que o número de aparelhos ligados à net vai aumentando, estimando-se que passe de 27 mil milhões em 2017 para cerca de 125 mil milhões em 2030, essa tendência dos ataques informáticos também irá prosseguir.

Os referidos ataques poderão ameaçar a existência de pequenas e médias empresas, segundo a Munich Re. De acordo com os dados da seguradora alemã, o custo médio de um ataque cibernético numa pequena empresa é de 34.327 dólares. Numa empresa grande, ascende a 71.644 dólares.

pub

pub