Banca & Finanças Banco de Portugal "recebeu cinco propostas" para o Novo Banco

Banco de Portugal "recebeu cinco propostas" para o Novo Banco

"O Banco de Portugal recebeu cinco propostas" de compra para o Novo Banco, confirmou a instituição liderada por Carlos Costa. Em causa estarão as ofertas dos cinco candidatos já conhecidos: BCP, BPI, Apollo/Centerbridge, Lone Star e China Minsheng.
Banco de Portugal "recebeu cinco propostas" para o Novo Banco
Bruno Simão/Negócios

São cinco as propostas que chegaram às secretárias de Carlos Costa e de Sérgio Monteiro para a compra do Novo Banco. Como tem sido hábito, o Banco de Portugal não divulga quem são os interessados. 

"O Banco de Portugal recebeu cinco propostas no âmbito dos dois procedimentos de venda – Procedimento de Venda Estratégica e Procedimento de Venda em Mercado –, cuja análise agora se inicia à luz dos critérios estabelecidos nos respectivos cadernos de encargos, divulgados no passado mês de Abril", assinala o regulador do sector financeiro num comunicado com dois parágrafos.

O prazo para a entrega de propostas vinculativas terminou às 17:00 desta sexta-feira, 4 de Novembro. No comunicado, o Banco de Portugal fala nas propostas mas não menciona se são vinculativas. 

Até aqui, já havia notícias sobre cinco ofertas: BPI, BCP, Lone Star, Apollo/Centerbridge e Minsheng Financial. O regulador sob o comando de Carlos Costa não especifica quais foram as propostas no procedimento de venda directa nem as que entraram na venda em mercado. Mas o grupo chinês era o único que tinha uma oferta que se enquadrava neste último procedimento. 

O banco liderado por Nuno Amado voltou a entregar a mesma carta que tinha já enviado no Verão e, tendo em conta que o regulador fala na recepção de cinco ofertas, considerou-a como elegível. 

Tal como tinha acontecido no primeiro concurso internacional, os nomes de quem entregou a propostas não são revelados. 

O Negócios já deu conta de que houve um novo interessado, a Axia Ventures, mas que, à partida, não terá chegado a tempo do prazo definido pela equipa liderada por Sérgio Monteiro. 

O Banco de Portugal está a proceder à venda da posição accionista do Fundo de Resolução no Novo Banco. A posição foi adquirida através da injecção de 4,9 mil milhões de euros, 3,9 mil milhões dos quais por dinheiro público.

O Novo Banco resulta da medida de resolução aplicada ao Banco Espírito Santo a 3 de Agosto de 2014. O primeiro concurso, iniciado em Dezembro daquele ano, falhou em Setembro de 2015. No arranque de 2016, começou o novo processo que teve agora a entrega das propostas.

O Novo Banco, liderado por António Ramalho, é um banco de transição e, como tal, tem de ser vendido até Agosto de 2017, três anos após a sua constituição. Não acontecendo, o primeiro-ministro já admitiu que o caminho é a liquidação. 


(Notícia actualizada com mais informações às 19:58)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI