Banca & Finanças Novo Banco confirma banqueiro irlandês como responsável das finanças

Novo Banco confirma banqueiro irlandês como responsável das finanças

Mark Bourke foi nomeado administrador financeiro do Novo Banco. O banco espera a autorização do BCE no início do próximo ano. O actual CFO, Jorge Cardoso, fica responsável pelas áreas de desinvestimento.
Diogo Cavaleiro 24 de setembro de 2018 às 17:56
O Novo Banco vai ter um novo administrador financeiro. Conforme noticiado, o banqueiro irlandês Mark Bourke será o novo responsável pelas finanças da instituição financeira. O banco antecipa que a entrada em funções ocorrerá no início do próximo ano, após avaliação do Banco Central Europeu (BCE). 

"Mark Bourke foi nomeado como novo membro do conselho de administração executivo do Novo Banco para a função de chief financial officer, para o mandato em curso, por deliberação hoje tomada pelo conselho geral e de supervisão", conta um comunicado emitido pelo banco, detido em 75% pela Lone Star e em 25% pelo Fundo de Resolução. 

O banco ressalva que "fica assim completa a equipa executiva do Novo Banco, composta por oito membros".

O actual CFO, Jorge Freire Cardoso, continuará na administração executiva, mas ficará como responsável pela área de desinvestimento, isto é, pelos activos imobiliários e pelo crédito malparado, de acordo com informações obtidas pelo Negócios. Isto numa altura em que o banco tem dois projectos de venda destes activos. 

O banco presidido por António Ramalho acredita que Mark Bourke possa "entrar em funções previsivelmente no início do próximo ano, depois de completar o seu mandato no Allied Irish Bank e após autorização pelo Banco Central Europeu".

 

Bourke, com 51 anos, vem do Allied Irish Bank, banco que foi intervencionado pelo Estado irlandês em 2010 (altura da crise da dívida que afectou sobretudo a Grécia, Irlanda e Portugal). No comunicado, o Novo Banco ressalva que esta instituição financeira deu, em 2017, um passo na sua vida que passou pela colocação em bolsa de parte das suas acções.

 

No Novo Banco, o responsável irlandês vai encontrar um banco que ainda dá prejuízos. Foram de 231 milhões no primeiro semestre. Dentro da entidade, a expectativa é que a vinda de um novo CFO, com uma história de sucesso com um banco resgatado, possa ajudar a instituição financeira portuguesa. O Novo Banco é detido em 75% pela Lone Star e em 25% pelo Fundo de Resolução.

 

O gestor irlandês junta-se assim à equipa executiva liderada por Ramalho que, este ano, já foi alargada com a entrada de Luís Ribeiro.

 

Houve também uma novidade recentemente: João Dias, vindo da McKinsey, foi nomeado responsável pela transformação digital da instituição financeira.



(Notícia actualizada às 18:05 com mais informações)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI