Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Conheça o “poste” do Barreiro que vai concretizar o sonho português da NBA

Neemias Queta foi escolhido pelos Sacramento Kings no “draft” da NBA. O “bom gigante” do Vale da Amoreira, formado no Barreirense e com passagem discreta pelo Benfica, vai ser o primeiro português a jogar na liga de basquetebol americana.

Negócios com Lusa 30 de Julho de 2021 às 08:34
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

O português Neemias Queta, de 22 anos, foi eleito esta madrugada na 39.ª posição do "draft" da Liga norte-americana de basquetebol (NBA), pelos Sacramento Kings, podendo tornar-se em 2021/22 o primeiro português a jogar na competição. Curiosamente, deve iniciar a carreira profissional na mesma cidade em que brilhou Ticha Penicheiro (Sacramento Monarchs), entre 1998 a 2009.

 

Depois de três anos na Universidade de Utah State, ao serviço dos Aggies, o ex-jogador do Barreirense e do Benfica – joga na posição de poste e mede 2,13 metros – propôs-se ao "draft". Quetão, como é conhecido na modalidade, abdicou da época de "sénior", a quarta, e foi escolhido na nona posição da segunda ronda pela equipa que em abril disse estar a equacionar ser a primeira do mundo a pagar salários em bitcoin. A época 2021/22 arranca a 19 de outubro.

 

O internacional luso acabou a carreira universitária com médias de 13,2 pontos, 9,0 ressaltos, 2,5 desarmes de lançamento e 2,0 assistências, com 59,4% nos lançamentos de campo. Números que convenceram o conjunto da Conferência Oeste, equipa que em 2020/21 terminou a fase regular no último lugar da Divisão Pacífico, com 31 vitórias e 41 derrotas.



"Mal posso esperar por ir para Sacramento. Vamos, Kings!", escreveu o atleta na sua conta oficial na rede social Instagram, numa publicação acompanhada de duas fotos em que surge com fato de cerimónia. Além de Neemias Queta, os Sacramento Kings também escolheram no 'draft' o base Damion Mitchell, da Universidade de Baylor, na nona posição global.



Natural do Barreiro, onde nasceu em 13 de julho de 1999, o menino do Vale da Amoreira recordou recentemente numa entrevista que "quando dizia que queria chegar à NBA, houve pessoas que se riram na [sai] cara, houve pessoas que disseram que não era possível". "E eu não me preocupei com isso. Tens de acreditar no que tu achas que és capaz de fazer", completou.

 

Da discrição no Benfica ao estrelado universitário nos EUA

 

Neemias Queta Barbosa fez-se jogador na cidade natal, ao serviço do histórico Barreirense, clube formador pelo qual alinhou pelos sub-14, sub-16 e sub-18, antes de rumar ao SL Benfica, em 2017/18. Nos encarnados jogou maioritariamente na equipa secundária, na Proliga, com passagens episódicas pela formação principal.

 

O poste terminou a primeira época pelos encarnados sem ter tido grande destaque nem que se visse ali um prodígio, quando completava 19 anos. No entanto, confiante, destemido, achou que era a altura certa para partir à aventura e rumou à equipa da Universidade de Utah State, que não pertence à elite do basquetebol da NCAA. Mas em pouco tempo mostrou o seu valor, virou ídolo e tornou-se referência, com melhorias em todos os aspetos do jogo.

Quando dizia que queria chegar à NBA, houve pessoas que se riram na minha cara, houve pessoas que disseram que não era possível. Neemias Queta, basquetebolista


O poste luso não é um exímio marcador de pontos, um lançador talentoso ou um jogador imparável, mas, defensivamente, é descrito como um portento junto ao aro. A sua envergadura intimida em território de "gigantes". Os Sacramento Kings escolheram assim um jogador que é um verdadeiro especialista na defesa, que se tem destacado cada vez mais na arte de fazer desarmes de lançamento e "limpar" as tabelas, sobretudo a defensiva, garantindo ressaltos.

No capítulo ofensivo, também tem progredindo, nomeadamente nos lançamentos de média distância -- não será provável vê-lo a lançar 'triplos' -- e especialmente perto do cesto, onde a sua técnica individual o ajuda. Neemias destacou-se individualmente e foi preponderante no sucesso coletivo de Utah State, que conduziu à vitória na Conferência Montain West em 2019 e 2020. Em 2021, não logrou esse objetivo, mas chegou, ainda assim, ao 'March Madness'.



O "bom gigante" do Barreiro prepara-se para concretizar o sonho que foi também de Carlos Lisboa, nos anos 1980, ou de João "Betinho" Gomes, mais recentemente. E um pouco de todos os miúdos que começam a driblar uma bola de basquetebol e a ouvir falar do mundo mágico da NBA. Em que Portugal vai finalmente entrar, pelas mãos de Neemias Queta.
Ver comentários
Saber mais desporto basquetebol NBA Neemias Queta Barreiro Benfica Sacramento Kings EUA
Outras Notícias