Empresas Accionistas chineses do BCP apostam na moda francesa com compra da Lanvin

Accionistas chineses do BCP apostam na moda francesa com compra da Lanvin

A Fosun International confirmou a compra de uma participação maioritária na casa de moda francesa. O valor do negócio não foi divulgado.
Accionistas chineses do BCP apostam na moda francesa com compra da Lanvin
Reuters
Negócios 22 de fevereiro de 2018 às 12:43

A Fosun International, accionista chinesa do BCP, comprou uma participação maioritária na casa de moda francesa Lanvin. A informação, avançada na semana passada pela Fashion Network e pela Reuters, foi confirmada pela empresa num comunicado emitido esta quinta-feira, 22 de Fevereiro.  

O valor do negócio não foi divulgado, mas de acordo com fontes citadas pela Fashion Network, a Fosun terá pago mais de 100 milhões de euros pela marca de luxo, que vai compor o portefólio do grupo chinês, que conta com investimentos que vão desde os resorts do Club Med à marca italiana de vestuário masculino Caruso. Em Portugal, a Fosun é dona da seguradora Fidelidade e da Luz Saúde, e a maior accionista do Banco Comercial Português (BCP).

 

Fundada em 1889, a Lanvin é a mais antiga casa de moda francesa em funcionamento. A marca foi comprada em 2001 pelo magnata taiwanês Shaw-Lan Wang, e reforçou o seu prestígio a nível global sob a liderança do designer israelita Alber Elbaz, responsável pelo seu reposicionamento no mercado.

 

No entanto, Alber Elbaz deixou a Lanvin em 2015, e desde então a casa francesa tem enfrentado dificuldades, que foram agravadas com a saída do seu sucessor Bouchra Jarrar, no verão do ano passado.

 

A Reuters adiantava, na semana passada, que a Lanvin registou perdas de 18,3 milhões de euros em 2016 e que se espera um agravamento para 27 milhões no ano passado.