Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

CEO da Cambridge Analytica suspenso após admitir uso indevido de dados de utilizadores do Facebook

A empresa está no centro de uma controvérsia após declarações polémicas do seu CEO, Alexander Nix, que admitiu o recurso aos dados de utilizadores do Facebook para influenciar resultados eleitorais e referendos.

5 - Facebook – De amigo em amigo, a rede social cresceu e é hoje um portento. A marca liderada por Zuckerberg está avaliada em 46,13 mil milhões.
REUTERS
Negócios 20 de Março de 2018 às 19:53
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A empresa de teconologia Cambrigde Analytica decidiu suspender o CEO, Alexander Nix, na sequência de uma série de alegações que têm sido feitas nos últimos dias.

O presidente da consultora foi apanhado a admitir que a Cambrigde Analytica trabalhava secretamente em eleições, roubando as informações de utilizadores do Facebook através de tácticas ilegais. A confissão foi feita a um jornalista do Channel 4 News que se fez passar por um cliente.


Além destas declarações, também outros executivos da empresa foram filmados a admitir subornos com "mulheres ucranianas".


No site da Cambrigde Analytica é referido que a empresa suspendeu Nix para que seja feita uma investigação "independente" sobre as suas ações. A suspensão tem efeito imediato, refere o Correio da Manhã.


A empresa diz ainda que as declarações de Nix "não representam os valores da Cambrigde Analytica e a sua suspensão reflecte a seriedade" com que querem tratar o caso.


Nos últimos dias,
surgiram notícias de que a Cambridge Analytica usou indevidamente informação do Facebook para ajudar o candidato republicano Donald Trump a ganhar as presidenciais norte-americanas em 2016, bem como para ajudar o Reino Unido a sair da União Europeia.

A empresa, acusada de usar a informação de mais de 50 milhões de contas do Facebook, nega qualquer utilização indevida.

Enquanto isso, o fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, recebeu um pedido formal para comparecer perante os deputados britânicos e responder a algumas perguntas sobre o crescente escândalo em torno da utilização de dados dos utilizadores desta rede social.

Ver comentários
Saber mais Analytica Alexander Nix Reino Unido União Europeia Mark Zuckerberg Donald Trump política
Mais lidas
Outras Notícias