Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Empresário brasileiro nega que vá comprar a TAP

David Neeleman, dono da Azul Airlines, diz que não vai compra a TAP e que a empresa está focada na dispersão de acções em bolsa.

Negócios 11 de Junho de 2013 às 20:37
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...

“A Azul não vai comprar a TAP”, afirmou o fundador e presidente executivo companhia aérea brasileira, a Azul Airlines, à agência Dow Jones. O interesse do empresário brasileiro na companhia aérea portuguesa tem sido amplamente noticiado, com os jornais a revelarem que o próprio Governo brasileiro tem encetado algumas conversas com vista à entrada da Azul na TAP.

 

“Temos a falado com o Governo [brasileiro] sobre” ajudar a TAP, e “dissemos que podíamos ajudar a TAP com ligações, por exemplo”, adiantou o responsável.

 

Na segunda-feira foi a vez do “Valor Econômico” noticiar que David Neeleman estaria já em negociações com o Banco Nacional de Desenvolvimento Económico e Social (BNDES) para avaliar qual será o envolvimento do banco estatal brasileiro na corrida à privatização da TAP.

 

Hoje, terça-feira, o presidente da empresa diz à Dow Jones que não vai comprar a TAP, acrescentando que a sua companhia está focada na entrada em bolsa. E é precisamente esta questão que tem sido apontada pela imprensa brasileira como razão para que o responsável afaste a operação.

 

O jornal “Folha de São Paulo” diz esta terça-feira que apesar do ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, ter afirmado que o governo ofereceu apoio à Azul para participar do leilão da companhia aérea portuguesa TAP, esta tem desmentido o seu interesse. E recorda que a Azul está a preparar a oferta pública inicial (IPO), com a operação prevista para Julho. E a compra da TAP pode ter resultados negativos para essa captação de recursos no mercado, explica o jornal.

 

No ano passado, a privatização da companhia aérea portuguesa falhou. O único empresário a apresentar uma oferta vinculativa foi Germán Efromovich, presidente da Avianca. Na altura, a operação não avançou porque, segundo o Governo português, o empresário não apresentou todas as garantias bancárias necessárias para a operação seguir em frente.

 

No final da semana passada, o Negócios escreveu que o Executivo liderado por Pedro Passos Coelho já recebeu várias manifestações formais de interesse na TAP, nomeadamente de fora da Europa.

 

Pensa-se que a próxima operação de privatização possa ser feita sem a inclusão de várias subsidiárias da TAP, como a parte Manutenção Brasil, que, devido à sua situação financeira, dificulta o interesse na companhia como um todo.

 

A presidente do Brasil, Dilma Rousseff, está desde ontem em Portugal, sendo que a privatização da TAP será um dos temas dos encontros agendados para esta tarde com Passos Coelho e Cavaco Silva.

Ver comentários
Saber mais TAP David Neeleman aviação privatizações
Outras Notícias