Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Governo espanhol dá 250 milhões para financiar companhia aérea argentina

O Governo espanhol decidiu aumentar o valor do crédito concedido à Argentina, no sentido de poder conceder 250 milhões para ajudar a financiar a companhia aérea argentina, noticia hoje o jornal espanhol "Expansion".

Ana Torres Pereira atp@negocios.pt 18 de Junho de 2009 às 11:41
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
O Governo espanhol decidiu aumentar o valor do crédito concedido à Argentina, no sentido de poder conceder 250 milhões para ajudar a financiar a companhia aérea argentina, noticia hoje o jornal espanhol “Expansion”.

O conselho de ministros espanhol instruiu o Instituto de Crédito Oficial (ICO) para este modificar as condições da linha de crédito concedida à República da Argentina em 2001.

Este empréstimo, no valor de mil milhões de dólares, foi concedido num que a Argentina estava a atravessar a crise mais grave da sua história.


Além disso, o ICO decidiu ampliar o crédito concedido no valor de 250 milhões de euros, dinheiro que previsivelmente servirá para que as Aerolíneas Argentinas financie a compra de aviões Airbus, avançaram fontes próximas, citadas pelo “Expansion”.


Se a companhia aérea argentina mantiver a compra dos Airbus, o accionista Marsans retirará a queixa que interpôs junto do Centro Internacional de Arbitraje de Disputas de Inversiones (CIAD). Além disso, a Marsans renunciará a qualquer tipo de compensação económica pelas perdas da companhia.


As negociações com a Airbus poderão estar concluídas dentro de semanas, no entanto ainda faltam alguns detalhes. Inicialmente o que estava em causa era a compra de 30 avioes, dos 66 encomendados pela Marsans, no entanto o jornal refere que deverão ser menos.


O dinheiro que a Marsans recuperar com esta operação será um balão de oxigénio, numa fase em que a companhia está a atravessar problemas.


A história das Aerolíneas Argentinas remonta a 1990, quando a Iberia, então conrtolada pelo Estado espanhol, tomou controlo da empresa.


Em 1994, o Instituto Nacional de Industria (INI) assume o controlo da empresa argentina após esta ter registado provocado perdas de 1.200 milhões de euros à Iberia que atravessava problemas financeiros..


Em 2001, o INI decide vender a empresa ao grupo espanhol Marsans, situação que é contestada quer pelos trabalhadores como pelos políticos argentinos.


No ano passado, a Marsans aceita ceder parte da sua posição na empresa, para a entrada de novos accionistas, no entanto a venda não corre de acordo com o esperado pelo Governo argentino. Assim, este optou finalmente por expropriar.


A Marsans levou o Governo argentino até ao Centro Internacional de Arbitagem de Conflitos de Investimentos, que depende do Banco Mundial. A Marsans admite retirar a queixa se transportadora mantenha parte da encomenda de Airbus. Aí, a Argentina solicitou ajuda a Espanha para se financiar.

Ver comentários
Outras Notícias