Turismo & Lazer Hard Club do baterista dos Xutos com dívidas de 5,3 milhões nas mãos da CGD

Hard Club do baterista dos Xutos com dívidas de 5,3 milhões nas mãos da CGD

O espaço de concertos do Porto, que é detido e gerido, entre outros, pelo músico Kalú, acumulou prejuízos e aderiu ao Processo Especial de Revitalização (PER). Entidades estatais, como a CGD, o Fisco e a Segurança Social, detêm 83% do total de créditos reclamados.
Hard Club do baterista dos Xutos com dívidas de 5,3 milhões nas mãos da CGD
A Câmara do Porto concessionou ao Hard Club, em 2008, o Mercado Ferreira Borges, situado na zona histórica do Porto,
Rui Neves 14 de agosto de 2019 às 19:58

A salvação do Hard Club, concessionário e que dá nome ao espaço de concertos do Mercado Ferreira Borges, na zona da Ribeira do Porto, está nas mãos da Caixa Geral de Depósitos (CGD), que detém mais de metade dos 5,348 milhões de euros de créditos reclamados em sede de Processo Especial de Revitalização (PER) da empresa.

 

"A Caixa é o maior credor, estando já a decorrer negociações entre a empresa e o banco", adiantou, ao Negócios, Bruno Costa Pereira, administrador de insolvência da Hard Club - Turismo de Animação Cultural, Lda.

 

A CGD tem a haver quase 2,8 milhões de euros, seguindo-se outra entidade estatal, a Turismo de Portugal, com 1,56 milhões de euros. A Segurança Social (13,3 mil euros), o Fisco (1.575 euros) e a Câmara do Porto (59,6 mil euros, por conta da cedência do direito de superfície do equipamento) também fazem parte da lista de 28 credores.

 

Com a empresa a acumular prejuízos ano após ano, o passivo da Hard Club "decorre de um investimento elevado que foi realizado na reabilitação do Mercado Ferreira Borges", pelo que decidiu aderir ao PER "para sanear e reestruturar o seu passivo", explicou o mesmo gestor judicial.  

 

Bruno Costa Pereira confirmou que "a empresa vinha sendo apertada pelos seus credores", com a entrada de várias ações judiciais contra a empresa. Ainda há cerca de três meses, a gerência do Hard Club conseguiu travar à última hora uma penhora decretada pelo tribunal.

 

O Hard Club é detido por quatro empresários, entre os quais Kalú, o baterista dos Xutos e Pontapés, que assume na empresa o cargo de sócio-gerente.

 

Foi em 1996 que, durante um concerto dos AC/DC no Estádio do Restelo, Kalú e o seu amigo Pedro Lopes, um dos seus sócios no já extinto e lisboeta Johnny Guitar, decidiram criar uma sala de espetáculos no Porto.

 

O Hard Club acabou por nascer na zona ribeirinha do lado sul do Douro, em Gaia, em dezembro do ano seguinte, num edifício de pedra propriedade da família de Kalú, onde em tempos funcionou uma tanoaria. Fechou em 2006.

 

Dois anos depois, concorreu à exploração do icónico Mercado Ferreira Borges, na zona histórica do Porto. Ganha a concessão, adaptou o espaço, sobretudo com a criação de duas salas e um restaurante, e reabriu-o em setembro de 2009.

 

Pelo Hard Club, ao longo das suas duas vidas, passou já cerca de uma dúzia de milhares de artistas nacionais e internacionais.

 

O Negócios tentou contactar a gerência da empresa, sem sucesso até ao momento.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI