Galp vai investir 150 milhões na expansão da rede em Moçambique

A energética quer alargar a rede de postos de abastecimento até 2020 e investir em duas novas bases logísticas em Moçambique.
Pedro Elias/Negócios
pub
Sara Ribeiro 30 de agosto de 2018 às 17:52

A Galp Energia anunciou que quer duplicar a presença no mercado moçambicano em quatro anos. Para tal, vai investir 150 milhões de dólares no reforço da rede de postos de abastecimento, bem como em duas novas bases logísticas.

Com este investimento, a petrolífera portuguesa prevê passar dos actuais 57 postos para 70 até 2020. Ainda em 2018, a energética quer aumentar a rede até aos 60 postos.

O plano de expansão da empresa em Moçambique passa ainda pela construção de duas novas bases logísticas para recepção, armazenagem e expedição de combustíveis nas cidades da Matola e da Beira. Com este reforço, que será realizado no âmbito de uma parceria, a petrolífera vai ficar a contar com quatro bases logísticas no país, onde está presente há 60 anos.

A Galp sublinha ainda que este investimento vai contribuir para a criação de novos postos de trabalho directos, quer na fase de construção, quer na fase de exploração. "No final de 2020 o universo de pessoas a trabalhar apenas na área de retalho da empresa será superior a 2.600 colaboradores", detalha a empresa em comunicado.

Além do segmento de distribuição, a Galp está presente neste mercado no segmento de Exploração e produção.  Aliás, Moçambique é o mercado-chave da empresa liderada por Carlos Gomes da Silva para o gás natural.

pub

Actualmente, a Galp está presente neste segmento no país, com uma participação de 10%, no projecto Coral Sul, no qual também participam a italiana Eni e sul-coreana Kogas. Além deste projecto, a empresa também tem em curso o projecto Mamba, apelidado pelo CEO da Galp como a "jóia da coroa". Este projecto, com capacidade para produzir 7,6 milhões de toneladas por ano (mtpa) já foi submetido ao Governo moçambicano. A decisão final deve ser conhecida em 2019.

pub