Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Alemã RWE inicia abastecimento de gás para a Ucrânia

A empresa alemã iniciou esta terça-feira o fornecimento de gás natural para a Ucrânia numa tentativa de minimizar as repercussões para a economia ucraniana do aumento do preço do gás imposto pela empresa estatal russa Gazprom.

Bloomberg
David Santiago dsantiago@negocios.pt 15 de Abril de 2014 às 19:12
  • Assine já 1€/1 mês
  • 7
  • ...

A partir desta terça-feira a Ucrânia viu reduzida a sua dependência energética face à Rússia depois da energética alemã RWE ter iniciado o abastecimento de gás, via Polónia, para aquele país. Foi para já a resposta encontrada pelo ocidente para diminuir o impacto decorrente do fim dos descontos praticados pela russa Gazprom no fornecimento de gás para a Ucrânia.

 

O gás que começou a ser hoje canalizado para a Ucrânia é proveniente da União Europeia, da Noruega e da própria Rússia. Este abastecimento será feito num valor próximo daquele que é praticado pela empresa alemã e que já inclui as despesas de transporte, refere a Reuters.

 

A RWE apesar do anúncio feito esta terça-feira fechou a sessão bolsista a desvalorizar 0,65% para 28,435 euros por acção, seguindo a tendência de quedas ligeiras registadas nas duas sessões anteriores.

 

O início da crise na Crimeia e as ameaças do Kremlin de interromper o abastecimento de gás, através dos gasodutos que atravessam a Ucrânia, fizeram soar o alarme dentro de uma União Europeia que depende em cerca de 60% do gás natural russo.

 

Contudo Kiev, que viu no dia 1 de Abril o preço por metro cúbico de gás aumentar em cerca de 45%, não vê resolvida a dependência energética face a Moscovo, cujo fornecimento representa mais de dois terços do gás natural consumido pelo país.

 

A  Europa que assumiu recentemente a vontade de reduzir a dependência energética relativamente a Moscovo num prazo de três meses aguarda ainda por medidas que estarão a ser estudadas pela Comissão Europeia.

Ver comentários
Saber mais Ucrânia Rússia Polónia Gazprom União Europeia Noruega Kiev Moscovo Comissão Europeia RWE Gazprom gás natural
Mais lidas
Outras Notícias