Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Lisboa mantém 27ª posição nas cidades mais caras do mundo

A capital portuguesa manteve este ano o 27º lugar no «ranking» das localizações de comércio mais caras do mundo, divulgou a promotora imobiliária Cushman & Wakefield Healey & Baker (CWH&B).

Filipa Lino flino@negocios.pt 07 de Novembro de 2003 às 19:49
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A capital portuguesa manteve este ano o 27º lugar no «ranking» das localizações de comércio mais caras do mundo, divulgou a promotora imobiliária Cushman & Wakefield Healey & Baker (CWH&B).

O estudo «Main Streets Across the World» conduzido anualmente por esta consultora imobiliária mostra que em território português as zonas mais valorizadas para o comércio estão em Lisboa. Designadamente, na baixa pombalina, onde em Junho deste ano o arrendamento ascendia a 95 euros, por metro quadrado (1,14 mil euros por ano).

As Amoreiras são também uma zona procurada pelo comércio, onde metro quadrado vale 70 euros por mês (840 euros, por metro quadrado, ao ano). Segue-se a Avenida de Roma a custar 50 euros, por metro quadrado, por mês (600 euros por metro quadrado, por ano).

Na cidade do Porto o local mais procurado para o retalho é a Rua de Santa Catarina onde o metro quadrado custa 60 euros, por mês (720 euros, por metro quadrado, ao ano). O segundo lugar mais caro na Invicta é a Avenida da Boavista valorizada em 35 euros por metro quadrado, por mês (420 euros por metro quadrado, por ano).

Segundo este estudo a previsão para o sector do comércio em Portugal no próximo ano aponta para «um aumento da actividade do comércio de rua uma vez que um número significativo de retalhistas, portugueses e estrangeiros, procuram expandir o seu negócio».

A primeira posição deste ranking internacional é ocupada pela 5ª Avenida em Nova Iorque, considerada o epicentro do comércio de luxo. Nesta localização um espaço comercial custa em média 7,96 mil euros por metro quadrado, por ano.

O estudo «Main Streets Across the World» monitoriza as rendas de 226 localizações de comércio em 45 países.

Ver comentários
Mais lidas
Outras Notícias