Itália reveste aumento de 2,4% das exportações têxteis até Julho

As exportações de têxteis e vestuário atingiram os 3.233 milhões de euros nos primeiros sete meses deste ano, mais 75 milhões do que em igual período do ano passado, dois terços dos quais foram gerados pelas vendas para Itália.
Ricardo Castelo/Negócios
pub
Rui Neves 10 de setembro de 2018 às 13:28

Depois de ter batido o recorde de vendas ao exterior no ano passado, a indústria têxtil e do vestuário portuguesa prossegue em terreno positivo, tendo fechado os primeiros sete meses deste ano com um crescimento de 2,4% das exportações, para 3.233 milhões de euros.

Um aumento superior a 75 milhões de euros que teve nas vendas para a Itália, quinto maior destino das exportações têxteis nacionais, o maior contributo para este desempenho.

"Destaque para o crescimento das exportações para Itália, com um crescimento absoluto de quase 49 milhões de euros (mais 33%)", para 194 milhões de euros, enfatiza a associação do sector (ATP), em comunicado.

Esta organização empresarial destaca também o aumento das vendas para a Holanda, com um acréscimo de cerca de 19 milhões de euros, o que representa um crescimento homólogo de 16%, e para a China, com um acréscimo de 17 milhões de euros, mais 79% do que há um ano.

Em termos absolutos, as exportações para Espanha e Reino Unido - principal cliente destacado dos têxteis portuguesas e quarto maior, respectivamente, baixaram 5%, o que representou perdas de 48 milhões de euros no caso de Espanha e 13 milhões em relação ao mercado britânico.

pub

De Janeiro a Julho, as exportações para Espanha quedaram-se pelos 1.018 milhões de euros, enquanto para o Reino Unido baixaram para 243 milhões de euros.

Já as exportações para destinos extra-comunitários aumentaram quase 8%. Além do crescimento robusto do mercado chinês, destaque também o aumento verificado verificado nos EUA (mais 5%), Suíça (mais 25%) e para a Antiga República Jugoslava da Macedónia (mais 92%).

Por segmentos, as exportações de matérias-primas cresceram cerca de 5% para 882 milhões de euros, o vestuário 1% para 1.919 milhões de euros, e os têxteis para o lar e outros artigos têxteis confeccionados 4% para 432 milhões de euros.

No final de Julho passado, o saldo da balança comercial dos têxteis e vestuário fixava-se em 754 milhões de euros, equivalente a uma taxa de cobertura de 130%.

pub