Buffett volta a reforçar na Apple e considera iPhone "enormemente subavaliado"

Warren Buffet não se cansa das acções da Apple, que já detinha aos milhões. Anunciou que voltou a comprar uma "pequena" quantidade de acções nesta empresa e considerou os preços do produto bandeira, o iPhone, demasiado baixos.
Jornal de Negócios
pub
Negócios 30 de agosto de 2018 às 19:13

O conhecido investidor Warren Buffett afirma que comprou "um pouco mais" de acções da Apple, cotada onde já é o segundo maior accionista, revelou em entrevista à CNBC.

Para Buffett, o iPhone, o produto bandeira da Apple, está "enormemente subavaliado", tendo em conta a utilidade que os compradores vêem no mesmo, justificou. 
Até Março, o empresário já detinha 239,6 milhões de títulos da Apple através da Berkshire Hathaway, tendo reforçado em Junho para 252 milhões de títulos, que têm actualmente uma avaliação de 56 mil milhões de dólares. Tendo em conta as acções detidas em Março e a valorização desde então das acções da Apple, o valor da posição de Buffett aumentou em mais de 2 mil milhões de dólares.  

Na entrevista à CNBC, o oráculo de Omaha explicou porque gosta tanto das acções da Apple e porque continua a apostar na cotada, mesmo depois do seu valor de mercado ter superado a marca do bilião de dólares.

"O meu foco não está nas receitas do próximo trimestre ou do próximo ano. A minha atenção está nas centenas de milhões de pessoas que praticamente vivem as suas vidas através do iPhone", disse o investidor, que é também um utilizador dos produtos da Apple. Utiliza "muito" o iPad e defende que o preço do iPhone, mesmo a 1.000 dólares, é muito baixo dado ser indispensável para tanta gente.

Sobre o mercado accionista em geral, Buffett mantém a perspectiva positiva, afirmando que para os investidores é preferível ter uma carteira de acções em detrimento de obrigações com uma maturidade de 30 anos ou outros activos de retorno fixo.

pub

"Não sei quando devo comprar acções, mas sei se devo comprar acções", afirmou o investidor.

Além da Apple, Buffett revelou outras acções em que está a investir. Neste caso a sua própria empresa. É que a Berkshire Hatheway está a comprar acções próprias pela primeira vez desde 2012.

No que toca à conjuntura económica, Buffett não tem reservas: "Os negócios estão bem. Estavam bem há dois anos e continuam a melhorar", avalia. Apesar das tarifas comerciais que têm vindo a ser lançadas se fazerem notar também nos resultados da Berkshire, sobretudo nos negócios de materiais de construção e pintura, o investidor vê em Jerome Powell um "excelente" presidente da Reserva Federal, e deposita confiança na sua habilidade de fazer o melhor pela economia.

Ainda na mesma entrevista, Buffett afastou suspeitas de que estaria interessado em comprar a icónica Campbell Soup, explicando que "é muito difícil oferecer um prémio significativo" numa empresa de produtos embalados.

pub