Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

IATA: Distribuição global da vacina exigiria 8 mil aviões como o 747

Distribuir uma vacina contra o coronavírus a 7,8 mil milhões de pessoas no planeta exigirá o transporte aéreo global equivalente à capacidade de 8 mil aeronaves 747 da Boeing, de acordo com a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, na sigla em inglês).

Air France
Bloomberg 10 de Setembro de 2020 às 10:15
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

A estimativa de capacidade pressupõe um programa de vacinas de apenas uma dose, já que os tratamentos de doses múltiplas aumentariam ainda mais a procura, segundo afirmou Glyn Hughes, responsável pelo segmento de carga da associação, durante uma conferência de imprensa na quarta-feira.

"Transporte aéreo é a terminologia correta aqui", disse Hughes. "Conhecemos bem os procedimentos. O que precisamos de fazer é dimensioná-los até à magnitude que será necessária".

Alguns aviões podem não ser adequados se as vacinas exigirem a faixa de temperatura típica de 2 a 8 graus Celsius para o transporte de medicamentos, acrescentou, sublinhando que as remessas congeladas excluiriam ainda mais aeronaves.

A IATA está a trabalhar com companhias aéreas, aeroportos, agências globais de saúde e farmacêuticas na elaboração de planos para um programa de distribuição, que defini como o "maior desafio de transporte de todos os tempos" do setor.

O aeroporto de Frankfurt, operado pela Fraport, está a avaliar como pode ajudar, enquanto a Air France-KLM está a estudar formas de maximizar a sua rede na África, disse Hughes.

Os voos para esse continente, bem como para a América Latina e partes do Sudeste Asiático, que têm menos capacidade de produção de vacinas, serão especialmente críticos.

Mercados em desenvolvimento dependem quase totalmente da carga transportada no porão dos aviões de passageiros, muitos dos quais permanecem paralisados por causa da queda da procura e das restrições de viagem em vigor para impedir a propagação do vírus.

‘Precisão militar’

Distribuir uma vacina em África seria "impossível" agora, segundo Hughes, devido à falta de capacidade combinada com o tamanho da região, fraca infraestrutura de transporte de superfície e complexidades nas travessias de fronteiras.

Os embarques terão de ser planeados com "precisão quase militar" e exigirão instalações frias numa rede de postos de armazenamento onde os medicamentos possam ser guardados entre voos a caminho da distribuição local.

Os EUA e outros governos investiram milhares de milhões de dólares para desenvolver uma vacina a um ritmo acelerado, e mais de duas dúzias de vacinas estão a ser testadas em voluntários menos de um ano depois do surgimento do coronavírus. Onze candidatas estão na fase final dos testes.

Ver comentários
Saber mais IATA vacina
Mais lidas
Outras Notícias