Transportes STCP reduz prejuízo operacional para 3,4 milhões até Junho

STCP reduz prejuízo operacional para 3,4 milhões até Junho

A operadora rodoviária do Porto, que transportou 34,4 milhões de passageiros no primeiro semestre, registou uma melhoria do desempenho operacional de 1,5 milhões de euros.
STCP reduz prejuízo operacional para 3,4 milhões até Junho
José Rebelo/Correio da Manhã
Negócios 31 de agosto de 2016 às 18:32

A Sociedade de Transportes Colectivos do Porto (STCP) registou nos primeiros seis meses deste ano prejuízos operacionais correntes de 3,4 milhões de euros, anunciou esta quarta-feira, 31 de Agosto, a empresa em comunicado, sublinhando a melhoria de 1,5 milhões face ao primeiro semestre de 2015, ainda que excluindo eventos de natureza não recorrentes.

"Em simultâneo, no semestre, a STCP apresentou uma recuperação da oferta, com mais 2,3% de quilómetros percorridos, e começou a inverter a tendência de queda na procura", sublinha a operadora, acrescentando que transportou 34,4 milhões de passageiros no semestre, apenas menos 2,7% do que no período homólogo.

De acordo com a empresa de transporte público do Porto, os gastos operacionais apresentam também uma melhoria, sobretudo decorrente da redução dos gastos com materiais e serviços e da despesa relativa a combustíveis, que se cifrou em 460 mil euros, fazendo recuar esta rubrica para os 26,9 milhões de euros.

Os resultados financeiros no semestre, negativos em 15 milhões de euros, sofreram um agravamento de 11,9 milhões, o que a empresa explica, "em grande medida", com o "ajustamento negativo nos instrumentos financeiros (swap)".


A STCP explica ainda que o aumento da produção quilométrica em 2,3% decorre também do processo de admissão de novos motoristas iniciado no final de 2015 e que tem vindo a permitir à operadora rodoviária pública uma melhoria das condições de exploração.


"Melhoria que fica a dever-se ao realinhamento estratégico da empresa, permitindo a contratação de 139 motoristas para o serviço regular", frisa no comunicado, acrescentando que em consequência, "as taxas de cumprimento de serviço voltaram a atingir valores na ordem dos 90%, algo que já não sucedia há alguns anos".


A STCP destaca ainda que em Junho passado foi assinado o memorando de entendimento com os municípios de Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Valongo e Vila Nova de Gaia para a alteração do modelo de Governação da STCP, cuja gestão será, a partir de Janeiro de 2017, assumida por estes municípios.



Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI