Margrethe Vestager: o mercado europeu não é uma "selva"

Na abertura do Web Summit, a comissária Europeia da Concorrência apontou a concorrência como um dos campos imprescindíveis à inovação e promete "reinventar" medidas para garantir o cumprimento destes pilares.
Bruno Simão/Negócios
pub
Wilson Ledo 06 de novembro de 2017 às 20:24

A comissária europeia da Concorrência defendeu esta segunda-feira, 6 de Novembro, que o mercado europeu não é uma "selva".Margrethe Vestager fazia uma comparação com os Estados Unidos da América e o seu ecossistema de inovação durante a abertura da segunda edição do Web Summit.

"O mercado europeu é um mercado onde nos preocupamos", defendeu a responsável, que falava sobre a forma como a tecnologia está a controlar as nossas vidas. "É preciso assegurar que as empresas jogam de forma justa", acrescentou.

Vestager lembrou os casos em que a Comissão Europeia aplicou coimas a tecnológicas norte-americanas como Facebook, Google ou Apple por abuso de posição dominante ou manipulação de informação. No caso da Google, a multa foi recorde: 2,4 mil milhões de euros. Todas as empresas estão a cumprir com os pagamentos, assegurou.

Para a comissária europeia, o desafio no mercado único está em "desenvolver as ferramentas certas" para garantir este balanço do mercado a um ritmo que é cada vez mais rápido. "Precisamos de competição justa para ter um mercado justo", apelou.

"Se a empresa tiver sucesso no mercado, deve ser porque tem os melhores produtos", acrescentou. Porque só isso, acredita, poderá ter um impacto positivo no desenvolvimento da democracia a nível comunitário. "Quando crescemos, não devemos ignorar os outros", explicou.

pub

A comissária europeia posicionou que é preciso "reinventar" os impostos que incidem sobre as empresas para garantir que estas "pagam", e elogiou o papel crescente dos cidadãos na "pressão" que têm feito na denúncia destes casos de alegada evasão fiscal.

Vestager está consciente de que situações de incumprimento vão continuar a existir. "Pessoas como eu nunca ficam desempregadas, infelizmente", brincou.

Recordando que "a concorrência é um dos motores da inovação", a comissária europeia apelou a novas formas de participação dos mais jovens na democracia, para lá dos ecrãs e das redes sociais. "Temos de trazer a democracia de volta e renová-la", apelou.

Vestager não reagiu à provocação da jornalista, logo no início, sobre "quão estragado está Sillicon Valley", conhecida como a principal comunidade de inovação e empreendedorismo do mundo. "Não gosto de generalizar", respondeu.

pub