Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina

Tal como o público, o júri da competição de pitch no Web Summit elegeu a Lifeina como a grande vencedora. Start-up leva para casa um cheque no valor de 50 mil euros dado pela Mercedes Benz.
Bruno Simão/Negócios
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócios
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócios
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócios
"FAKE NEWS" TIRAR AS NOTÍCIAS FALSAS E O DISCURSO DE ÓDIO DAS PLATAFORMAS "RAPIDAMENTE" As notícias falsas foram debatidas em várias ocasiões. Matt Brittin, presidente de negócios e operações da Google para a Europa, foi dos últimos a abordar o tema, para dizer que se trata de um fenómeno recente, assumindo, no entanto, que a Google "não tem feito o melhor trabalho" neste campo. Porém, "tem trabalhado com várias organizações não governamentais para melhorar a eliminação destes conteúdos e tirá-los das plataformas o mais rapidamente possível". O discurso foi feito no dia seguinte a ter-se ouvido Ann Mettler, da Comissão Europeia, dizer que Bruxelas está a desenvolver acções, não regulatórias, mas com um recado às tecnológicas: não podem fugir das suas responsabilidades.
Bruno Simão
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócios
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócios
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócios
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócios
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócio
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócio
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócio
Al Gore Um apelo As alterações climáticas foram o tema de encerramento do Web Summit. Al Gore foi recebido em festa e mereceu grandes ovações. Condenou o seu país e Donald Trump por ter abandonado o Acordo de Paris. "Há um movimento global que está a ser liderado pelas empresas. Mas em muitas partes do mundo, os políticos estão a atrasar esta revolução", afirmou. "Mas eu disse que não ia falar da política do meu país". Preferiu, depois, fazer um apelo a quem naquela sala o ouvia. "Há três questões importantes: Temos mesmo de mudar? A resposta é sim. Podemos mudar? A resposta é um grande sim. Vamos mudar? É a mais importante. O propósito de estar aqui não é entreter-vos. É recrutar-vos para serem parte da solução para a crise do clima. Temos de mudar, temos como mudar e, com a vossa ajuda, vamos mudar", concluiu. Os aplausos poderão indiciar que foi escutado. Saiu do palco Al Gore, entrou Marcelo Rebelo de Sousa. "Não é justo falar depois de Al Gore e em cinco minutos. Mas vou tentar". E agarrou a audiência. Deixou o apelo para que o Web Summit fique mais anos em Portugal. E despediu-se com um "até já". Para o ano há mais.
Bruno Simão/Negócios
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócios
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócios
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócios
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
Bruno Simão/Negócios
Web Summit: a grande vencedora do pitch é a Lifeina
pub
Ana Laranjeiro, Sara Ribeiro 09 de novembro de 2017 às 17:04

A grande vencedora do pitch da Web Summit foi a Lifeina. O júri desta competição de pitch – um dos pontos altos do evento – acompanhou a decisão do público e elegeu a start-up que desenvolveu um mini-frigorífico (200 mm x 100 mm), que permite conservar medicamentos.
Este ano, pela primeira vez, não foi apenas a opinião do júri que contou para eleger a melhor start-up. O público, através da aplicação do evento, teve 15 minutos para escolher a sua start-up favorita.
Esta manhã a Lifeina, durante o seu pitch no palco central, explicou que a start-up desenvolveu um mini-frigorífico (200 mm x 100 mm), que permite conservar medicamentos. Uma solução que pretende responder à necessidade de várias pessoas que sofrem de doenças crónicas, como cancro, e necessitam de tomar medicação que tem de ser conservada no frio.
"Em França, 3,8 milhões de pessoas tomam medicamentos que têm de ser conservados no frigorífico. E, por vergonha, não os levam para o trabalho", exemplificou na altura o CEO da Lifeina, Uwe Diegel.
Além de terem desenvolvido o mini-frigorífico, que permite guardar medicação até um mês, também criaram uma aplicação móvel que controla em tempo real a temperatura, a bateria e também manda alertas para o smartphone do doente quando está na hora de tomar a medicação.
"O Life in a Box não é só um frigorífico. É liberdade para as pessoas", concluiu.

pub