Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Forex: Principiante não entra

O mercado de Forex é demasiado complexo para a maioria dos investidores. Mas, se quer arriscar, tenha atenção para não se deixar ludibriar por corretoras não autorizadas pelos reguladores.

Deco Proteste 10 de Novembro de 2020 às 12:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...
Diógenes de Sínope tinha por hábito percorrer as ruas de Atenas com uma lâmpada acesa em pleno dia. Quando lhe perguntavam porque precisava da lanterna, o filósofo grego respondia que andava à procura de um homem honesto. Encontrar uma corretora de Forex honesta, melhor dizendo, de confiança, pode ser uma tarefa igualmente absurda. Desde logo, porque é uma das áreas em que é frequente encontrar empresas fictícias, cujo objetivo é apenas ficar com o dinheiro dos investidores. Se pesquisar no Google uma corretora que acabou de ver num anúncio e sobre a qual nunca ouviu falar e escrever "corretora ‘x’ é confiável?" encontrará numerosos sites com análises, aparentemente, imparciais. Alguns, mais atrevidos, debaixo de um véu impoluto, chegam a questionar: "Corretora ‘x’ é burla? Saiba aqui!". Na sua maioria, de imparcial nada têm. São análises pagas, ou mesmo escritas pelos interessados. Uma minoria pode estar identificada como anúncios pagos, para que surjam no topo dos resultados do motor de busca. Fique atento.


Gestão de risco e de capital é essencial para operar no Forex. Tenha ainda cuidado com a alavancagem e nunca invista dinheiro que lhe faça falta se o perder.

Cerca de 80% dos clientes perdem dinheiro em operações com CFD. O mais sensato é, por isso, ficar afastado do Forex.


Não significa, contudo, que as corretoras autorizadas se abstenham de práticas comerciais agressivas para levarem os clientes a negociarem mais e mais. Quanto mais ordens estes derem, mais o intermediário financeiro recebe, independentemente de os clientes ganharem ou perderem - perder é, aliás, o cenário mais frequente, como veremos a seguir.

Maioria perde dinheiro

Sejamos claros quanto à razão por que a maioria dos investidores se devem manter afastados do Forex. Referimo-nos em particular a transações frequentes e de curto prazo através dos chamados "contracts for diference" (CFD), com o recurso a elevada alavancagem, em que, na prática, a corretora empresta capital para multiplicar o valor investido, ampliando os ganhos. O problema é que a alavancagem também amplia as perdas. De um ponto de vista técnico, o mercado de Forex é unanimemente considerado um dos mais difíceis em termos de previsões com algum grau de confiança, sobretudo no curto prazo, facto que, conjugado com a alavancagem permitida nos CFD, o torna muito parecido com um jogo de casino. Na prática, é um jogo de soma zero, pois comprar uma moeda implica vender outra, o que significa que uma das partes do negócio ganha, e a outra tem uma perda de igual valor. O resultado é um mercado desequilibrado. Há uma minoria de investidores sofisticados, que conseguem ganhos recorrendo a uma mistura de análise técnica, conhecimento das estruturas do mercado, gestão do risco, entre outros. E há uma maioria que fracassa. Segundo dados das corretoras, cerca de 80% dos clientes perdem dinheiro em operações com CFD. Estamos a falar de intermediários regulados e com boa reputação. Se adicionarmos o elevado risco do mercado à dificuldade em distinguir entre os bons e os maus intermediários, a probabilidade de perder dinheiro aumenta. Perante este cenário, e apesar de não recomendarmos o investimento em Forex, decidimos apresentar algumas opções de corretoras legítimas, com as quais pode negociar com confiança.

Critérios de escolha

O universo das corretoras Forex é muito vasto e tem muitos tons de cinzento. Razão pela qual utilizámos para esta seleção vários critérios, entre os quais o volume de transações do mercado nacional. O conjunto de intermediários de confiança apresentado no quadro tem a maior quota de mercado de ordens recebidas de CFD em Portugal (94% no segundo trimestre). Aparte as nacionais, juntámos a IG, uma das maiores corretoras mundiais na área. Tivemos em conta também a ausência de reclamações e a reputação. Por último, considerámos o registado em Portugal ou a regulação por uma entidade de referência, como a britânica Financial Conduct Authority (FCA). Este ponto é essencial. A quase totalidade das queixas que recebemos sobre corretoras autorizadas relaciona-se com firmas sediadas na ilha de Chipre, onde a regulação é ligeira e a CySec, regulador local, tem a fama de não sancionar eficazmente.

Para obterem preçários mais favoráveis, os investidores mais experientes podem abrir conta diretamente numa corretora que recorra a parceiros internacionais com plataformas de negociação - Saxo Bank, Interactive Brokers e CMC Markets são intermediários de excelente reputação.

Aos iniciantes recomendamos, contudo, que optem por uma corretora presente em território nacional. Além de ser mais fácil de comunicar e resolver qualquer diferendo que possa surgir, tem a vantagem de a regulação nacional proteger o investidor. Por exemplo, a CMVM publicou, em 2019, um regulamento que, entre várias disposições, obriga as corretoras a oferecer proteção contra saldo negativo. Antes da aprovação desta medida, o investidor podia perder mais do que tinha depositado na conta. Foram também introduzidos limites à alavancagem, que não pode ultrapassar, no caso dos principais pares cambiais, 30:1. Assim, as margens permitidas deixaram de ser um fator significativo na escolha de uma corretora.

Corretoras de confiança

Da lista de intermediários que selecionámos, destacamos três especialmente indicados para diferentes perfis: menor custo, utilizador avançado e investidor que pretende explorar o máximo de opções.


Saber usar "stop losses" ajuda a minimizar as perdas. Não entrar em pânico com os maus resultados também.


Comecemos pela Invest Btrader. Tem os spreads mais baixos nos pares considerados, na sua plataforma Btrader NEXT, fornecida pela Interactive Brokers. Permite ainda ordens de stop loss garantido, que podem ser úteis em situações particulares, ou seja, mediante um custo extra, o intermediário garante que a ordem é executada ao valor do stop. Quanto à X-trade Brokers e à IG podem ser interessantes para investidores mais avançados. São especializados neste tipo de instrumentos (CFD), têm spreads relativamente baixos e permitem negociar através da plataforma Metatrader. Por último, o Banco BiG tem uma oferta muito ampla, disponibilizando plataformas da CMC Markets (BiGTrader 24), Interactive Brokers (BiG Power Trade) e Saxo Bank (BiGlobalTrade).

Apesar de termos selecionado um conjunto de corretoras, nunca é demais lembrar que recomendamos ao investidor comum ficar afastado deste mercado. Mas, se quiser mesmo correr estes riscos, pode abrir conta em qualquer dos intermediários financeiros mencionados, com a certeza de não estar a envolver-se com um parceiro pouco recomendável.


 Corretoras 
Não vá em cantigas e escolha um parceiro de confiança

Estes intermediários têm a maior quota de mercado nos CFD em Portugal. Juntámos-lhes a IG, uma das maiores corretoras mundiais, e calculámos o custo implícito no spread em ordens de 100 mil unidades nos três pares cambiais mais transacionados.



 Comissões 

Complexos e escondidos
Negociar Forex com alavancagem acarreta custos que passam despercebidos e são muito fáceis de subestimar. Veja como se calculam.


 Valor nominal  é a base para calcular o valor dos custos. Ou seja, o que conta é a quantidade da divisa que está a negociar, incluindo a alavancagem, e não o capital da conta reservado como margem. Um exemplo: se usar a alavancagem máxima permitida, de 30:1, pode negociar 100 mil dólares e só ter na conta 3333 dólares. Mas as comissões e os spreads incidirão sobre os 100 mil dólares.

 Pares de moedas  principais, como EUR/USD, USD/JPY ou GBP/USD, envolvem sempre custos mais reduzidos. Já os pares menos negociados tendem a ter spreads maiores. E, quanto mais baixo for o valor negociado, mais provável é ter de pagar comissões fixas.

 Comissões fixas  são usualmente aplicadas quando a transação é inferior a um determinado valor nominal. Previsto no preçário, varia consoante a divisa. O limiar mais frequente para a isenção é o chamado lote standard (100 mil unidades da divisa).

 Spread  é o principal custo a ter em conta nas transações de Forex através de CFD. Contudo, pode passar despercebido. Suponha que o par EUR/USD está cotado a 1,2000 e é dada uma ordem de compra. A corretora irá mostrar-lhe uma compra a 1,2002. Estes 0,0002 adicionais equivalem ao spread que a corretora adiciona à compra e venda de pares cambiais e constitui a sua remuneração. Na gíria, diz-se que tem um spread de 2 pips (1 pip = 0,0001 na maioria dos pares cambiais, com a exceção dos que envolvem o iene japonês).

Um campo minado O Forex é a área relativamente à qual recebemos mais queixas de atividade fraudulenta. Recentemente, alertámos para o caso da GMO Trading. No papel, e à primeira vista, parecia não haver qualquer problema: a corretora pertence a uma empresa registada em Chipre (Royal Forex), está autorizada a operar no espaço europeu e o site tem um aspeto profissional. Recebemos, porém, numerosas queixas de práticas comerciais agressivas, pedidos de resgate de fundos atrasados ou mesmo recusados, instalação de software que permite a partilha de ecrã e acesso remoto ao computador do cliente. Nos últimos meses, verificámos que está a abandonar a marca GMO Trading e a usar o nome ROInvesting. São acusações graves em relação a uma empresa que se apresenta aos clientes como estando a operar dentro da lei. Infelizmente, não é caso único. São frequentes os problemas com corretoras de Forex registadas na ilha de Chipre. Não quer dizer, obviamente, que qualquer corretora regulada pela CySec, o equivalente local à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, seja problemática, mas um registo de atividade apenas neste país é um potencial sinal vermelho. Se foi vítima, ou conhecer alguém que tenha sido alvo de semelhante atuação, denuncie. Pode utilizar o formulário de reclamações da CMVM e dirigir-se também à Unidade Nacional de Combate à Corrupção, da Polícia Judiciária, que é competente no âmbito dos crimes económico-financeiros. Sempre que for abordado por uma empresa financeira que não conhece, tome precauções. Recorra aos nossos serviços para saber se a empresa é autorizada ou se já existem reclamações sobre a mesma.
Ver comentários
Saber mais deco proteste Forex
Outras Notícias