Bolsa Euronext: Sonae MC “considerou que o timing não era o mais adequado”

Euronext: Sonae MC “considerou que o timing não era o mais adequado”

A Sonae anunciou, esta quinta-feira, o cancelamento da operação de dispersão da sua unidade de retalho em bolsa.
Euronext: Sonae MC “considerou que o timing não era o mais adequado”
Pedro Elias
Raquel Godinho 12 de outubro de 2018 às 11:05

Paulo Rodrigues da Silva, presidente da Euronext Lisbon, explicou que, ao longo do processo de roadshow, a Sonae considerou que este não era o timing "mais adequado" para a colocação em bolsa da Sonae MC. E revelou que há agora algumas questões técnicas a resolver.

A Sonae comunicou, esta quinta-feira, que a oferta pública de venda (OPV) da Sonae MC, que tinha arrancado na segunda-feira foi cancelada. A Sonae justificou esta decisão com as "condições adversas nos mercados internacionais".


"O emitente decidiu comunicar que a oferta ia deixar de prosseguir. É uma situação que já estava prevista no prospecto", explicou Paulo Rodrigues da Silva, num encontro com jornalistas, esta sexta-feira.


"Ontem foi um dia de grande instabilidade" nos mercados, lembrou o presidente da Euronext. E, simultaneamente, foi um dos dias de maiores transacções do ano.

 

Neste contexto, "ao longo do processo de roadshow, o emitente considerou que o timing não era o mais adequado", justificou. Questionado sobre quando e se a operação poderá ser retomada, Paulo Rodrigues da Silva frisou que "poderá ou não haver alguns ajustamentos de timing". O que a empresa terá que fazer se quiser retomar a operação mais tarde, "terá a ver com os detalhes técnicos da operação". 

 

O presidente lembrou que este tipo de situações já ocorreu noutras ocasiões e até no próprio grupo Euronext nos últimos dias. Ainda assim, garantiu que "todas as operações que estão em curso connosco, continuam", como é o caso da Farminvest. 

 

A Euronext vai "continuar a trabalhar e a estar disponível" para as empresas que queiram chegar ao mercado de capitais. 

 

Paulo Rodrigues da Silva adiantou há questões técnicas a ultrapassar nos próximos dias, isto porque a Sonae terá que publicar mais informação para que os investidores de retalho saibam o que fazer.

 

"Não tenho frustrações nas matérias que não posso controlar. Mas claro que [a colocação em bolsa da Sonae MC] seria um momento que teria uma comemoração", realçou Paulo Rodrigues da Silva.

 

Mas "é preciso ter consciência que é assim que os mercados funcionam (...) temos que conviver com isso e fazer aquilo que está nas nossas mãos", concluiu. 

 

(Notícia actualizada às 11:17)

 




pub