Bolsa SAG perde um quarto do valor em dois dias

SAG perde um quarto do valor em dois dias

As acções da SAG continuam a registar fortes quedas, a reflectir os resultados do primeiro semestre e o facto de ter assumido que a SIVA está a lutar pela sua sobrevivência.
SAG perde um quarto do valor em dois dias
João Pereira Coutinho é o principal accionista da SAG, ao controlar quase 81% do capital
Sara Antunes 15 de agosto de 2018 às 19:06

As acções da SAG caíram mais de 6,5%, acumulando assim uma queda de 24,6% no espaço de dois dias. Os títulos da empresa controlada por João Pereira Coutinho (na foto) recuaram assim para mínimos de Maio de 2017.

 

Em Julho, a SAG tinha já revelado que estava em negociações com investidores com o objectivo de vender a SIVA, subsidiária que representa as marcas do grupo Volkswagen. Na altura a notícia foi bem recebida pelos investidores, que fizeram disparar as acções. Entre 27 de Julho, dia em que foram publicadas as primeiras notícias sobre este tema, e 1 de Agosto as acções subiram mais de 38,5%, a beneficiar deste cenário. Desde então os títulos já anularam praticamente todos os ganhos, perdendo quase 34% desde o primeiro dia de Agosto.

 

E a contribuir fortemente para as quedas esteve o comunicado de apresentação dos resultados do primeiro semestre. Além de ter revelado um aumento dos prejuízos, a SAG admitiu que as dificuldades financeiras ameaçam a continuidade da SIVA.

 

A continuidade da actividade da SIVA, subsidiária da SAG Gest - Soluções Automóveis Globais, estará em risco, admitiu a empresa liderada por João Pereira Coutinho no comunicado de apresentação dos resultados. As dificuldades financeiras do grupo SAG levaram a empresa a alertar não só para o "risco acrescido para o normal desenvolvimento das actividades" mas também para a ameaça para a sustentabilidade do grupo, que poderá pôr em causa a "continuidade futura do negócio da subsidiária SIVA".

 

O aviso deixado não foi bem recebido e as acções deslizaram mais de 19% na terça-feira. E um dia depois continuou a saga, com os títulos a caírem 6,67% para 0,112 euros.

 

Quanto aos resultados, a SAG Gest reportou perdas de 10,11 milhões de euros no primeiro semestre deste ano, contra um prejuízo de 630 mil euros no período homólogo de 2017.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI