Mercados Coreia do Sul admite apoiar “activamente” negociação de moedas virtuais e bitcoin dispara

Coreia do Sul admite apoiar “activamente” negociação de moedas virtuais e bitcoin dispara

A bitcoin está a negociar acima dos 11 mil dólares depois da Coreia do Sul ter alterado o discurso e defender agora que está disponível para apoiar uma negociação normal das moedas virtuais.
Coreia do Sul admite apoiar “activamente” negociação de moedas virtuais e bitcoin dispara
reuters
Ana Laranjeiro 20 de fevereiro de 2018 às 11:39

A bitcoin está a registar a quinta sessão de ganhos. Por esta altura avança 2,67% para 11.376,8271 dólares, um comportamento que tem lugar depois de uma guinada no discurso por parte da Coreia do Sul.

Os reguladores na Coreia do Sul, uma das maiores economias do mundo e um dos locais de forte negociação de moedas virtuais, admitem agora apoiar activamente o que apelidaram de "normal" negociação de criptomoedas. Choe Heungsik, governador do Serviço de Supervisão Financeira da Coreia do Sul, disse nas últimas horas aos jornalistas que quer ver uma normalização na negociação de activos digitais, segundo a Bloomberg. Seul estará mesmo já a desenvolver esforços nesse sentido.

Este discurso distancia-se daquele que foi indicado no início do ano, quando as autoridades avançavam que estavam a preparar-se para proibir a negociação de criptomoedas no país, morada de mais de uma dúzia de bolsas de moedas electrónicas.

A 11 de Janeiro, numa conferência de imprensa, o ministro da Justiça da Coreia do Sul, Park Sang-ki, informou que o governo estava a preparar uma legislação para banir a negociação das moedas virtuais nas bolsas do país.

"Há grandes preocupações em relação às moedas virtuais e o Ministério da Justiça está a preparar um decreto para proibir a negociação", disse Park na altura citado pela Reuters. Um responsável do Ministério da Justiça acrescentou que a proposta de proibição da negociação foi anunciada depois de "muita discussão" com outras agências governamentais, incluindo o Ministério das Finanças do país e os reguladores financeiros.

No entanto, depois de a lei ser redigida, exigirá uma votação maioritária na Assembleia Nacional, um processo que, segundo a Reuters, pode demorar meses ou mesmo anos.

Apesar desta mudança de ponto de vista da Coreia do Sul, nas últimas semanas têm sido marcadas por duras críticas a este tipo de activos. Warren Buffett já disse que acredita que as criptomoedas "não vão acabar bem".

Roubini diz que bitcoin é "a maior bolha na história da humanidade" e bancos britânicos e norte-americanos proíbem compra de criptomoedas a crédito.




pub