Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Os quatro bancos digitais que estão a conquistar os portugueses

Nos últimos dias, acentuou-se o debate em torno da utilização dos bancos digitais por parte dos portugueses e sobre o seu tratamento fiscal. As dúvidas surgem numa altura em que é cada vez maior o número de utilizadores destas entidades. Além da Revolut, há outros bancos digitais a ganhar popularidade em Portugal. Conheça as principais características de quatro destes bancos.

Raquel Godinho rgodinho@negocios.pt 06 de Abril de 2019 às 12:00
  • Assine já 1€/1 mês
  • 12
  • ...


Revolut quer oferecer crédito

A Revolut já é conhecida dos portugueses há algum tempo. Com cerca de três milhões de clientes na Europa, já superou os 100 mil em Portugal. Por dia, conquista no mercado nacional entre 300 e 400 novos utilizadores por dia. "Atualmente, os portugueses podem abrir uma conta através da ‘app’ em minutos, fazer transferências internacionais gratuitas, trocar dinheiro em 24 moedas na ‘app’ e gastar dinheiro sem pagar comissões em cerca de 150 países com o ‘contactless’ da Mastercard ou Visa", adiantou a mesma fonte. Além disso, a Revolut disponibiliza aos seus clientes mais dois planos que vão além do serviço "padrão". E, "após obter a licença bancária em Portugal, vamos oferecer serviços de crédito que serão mais rápidos e mais baratos do que os dos grandes bancos e vamos introduzir a negociação de ações sem comissões", explicou. "O nosso crescimento é verdadeiramente positivo e rápido em Portugal", disse.

400
Utilizadores
A Revolut conquista entre 300 e 400 novos utilizadores em Portugal por dia.


Lydia realça compromisso
A Lydia tem atualmente 1,7 milhões de utilizadores em cinco países europeus, sendo que cem mil novos utilizadores abrem conta todos os meses. Em Portugal, já tem cerca de 50 mil utilizadores ativos. Aos clientes nacionais, esta ferramenta oferece um serviço de pagamento "instantâneo simples mas eficiente e, grátis". Este serviço foi um teste ao mercado nacional "para ter um ‘feeling’ sobre como as pessoas em Portugal responderiam à nossa experiência de utilização mobile. Com o ‘feedback’ realmente bom que recebemos, podem esperar muito mais nos próximos meses", adiantou fonte oficial da Lydia ao Negócios. A mesma fonte acrescentou que, apesar de ainda estar a construir a presença em Portugal, "a ‘app’, as comunicações e o apoio ao cliente já são em português, o que demonstra o forte compromisso que temos com este mercado". Esta "fintech" frisa ainda que não encontrou grandes dificuldades.

50.000
Utilizadores
A Lydia reconhece que já conta com cerca de 50 mil utilizadores ativos em Portugal.


Monese quer contratar
A Monese chegou a Portugal em outubro. "Com 800 mil utilizadores, 75% dos fundos provenientes do pagamento de salários, a Monese é um dos mais populares e mais confiáveis serviços bancários no Reino Unido e Europa", explica Norris Koppel. O fundador e CEO da Monese revela ainda que os clientes movimentam cerca de três mil milhões de dólares por ano, através de contas da Monese. A "fintech" oferece aos portugueses a conta corrente totalmente mobile, disponível em 20 países e em 11 línguas. "Permitimos que os particulares e empresas façam operações bancárias como os locais no Reino Unido e Europa", frisa Norris Koppel. E são três os tipos de serviços que os clientes podem solicitar, custando desde 4,95 libras a 14,95 euros por mês. "Portugal é muito importante para nós como localização e vamos continuar a investir no país", frisa o CEO da Monese que pretende triplicar os 15 colaboradores que tem atualmente.

15
Trabalhadores
A Monese conta atualmente com 15 colaboradores em Lisboa, número que quer aumentar.


N26 aposta na personalização
"As necessidades dos clientes mudaram drasticamente nos últimos anos, a uma escala global", defende fonte oficial da N26. Esta plataforma tem cerca de 2,3 milhões de clientes nos 24 países europeus onde está presente, tendo triplicado o número de clientes no último ano. Contudo, não quis revelar o número de portugueses que recorre aos seus serviços, frisando apenas que tem sido "bem recebida". Como meta para os próximos anos tem os 100 milhões de clientes mundiais. A N26 aposta na personalização dos serviços que oferece aos clientes, pois estes pretendem "do seu banco a mesma experiência digital que têm no estilo de vida contemporâneo". Por isso, adianta a mesma fonte, a "N26 simplifica os serviços bancários e capacita os clientes para que assumam o controlo das suas finanças". Em Portugal, "oferecemos uma conta bancária gratuita com a Mastercard, sem taxas de câmbio nem comissões escondidas".

24
Presença
Portugal é um dos 24 países europeus onde a N26 está presente. Tem 2,3 milhões de clientes.


Ver comentários
Saber mais bancos digitais fintech contas clientes utilizadores
Outras Notícias