Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

OPEP deverá aumentar a produção em 300 a 600 mil barris por dia

A OPEP, que se reúne no final desta semana, em Viena, está a debater um aumento da produção entre 300 e 600 mil barris por dia, abaixo da subida de 1,5 milhões inicialmente avançada.

Arábia Saudita frente-a-frente com o Irão - Os confrontos comprometerão as exportações de petróleo e gás do Estreito de Ormuz. Como consequência, o petróleo dispara e os planos de privatização da companhia de petróleo Saudi Aramco não resultam. A Arábia Saudita desvalorizará a sua moeda, obrigando a restante região a fazer o mesmo.
DR
Rita Faria afaria@negocios.pt 18 de Junho de 2018 às 11:12
  • Assine já 1€/1 mês
  • 2
  • ...

Os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) estão a discutir um acordo para aumentar a produção do cartel em 300 a 600 mil barris de petróleo por dia, sendo este o intervalo que estará em cima da mesa na reunião que se realiza no final desta semana, em Viena, avança a Bloomberg.

Se o cartel, juntamente com os seus aliados - que incluem a Rússia – acordarem um aumento desta ordem, a subida será muito inferior à inicialmente antecipada, de 1,5 milhões de barris por dia.

Por esse motivo, a notícia está a ter um efeito positivo no preço do Brent, que inverteu para o lado dos ganhos. Nesta altura, regista uma subida de 0,76% para 74,00 dólares, enquanto o West Texas Intermediate (WTI), transaccionado em Nova Iorque, recua 0,55% para 64,70 dólares.

Apesar de o Irão ter reiterado, este domingo, que se opõe a qualquer reversão dos cortes na produção, vários responsáveis de outros membros da OPEP têm-se mostrado optimistas com a possibilidade de fecharem um acordo, sinalizando que este é o momento certo para começar a retirar, de forma gradual, os cortes à oferta que foram iniciados no início de 2017.

De acordo com a Bloomberg, que cita fontes próximas das negociações, os responsáveis da OPEP também estão a trabalhar no sentido de atribuir à cooperação entre o cartel e os produtores aliados – o grupo OPEP+ - uma base permanente.

A perspectiva de tornar a Rússia, o maior exportador mundial depois da Arábia Saudita, mais próxima da OPEP poderia ajudar a convencer o Irão e a Venezuela, outro membro céptico sobre a necessidade de retirar os cortes, a apoiar um maior nível de produção no segundo semestre do ano.

Este sábado, o ministro da Energia da Arábia Saudita Khalid Al-Falih esteve reunido com o seu homólogo russo Alexander Novak, que voltou a defender um aumento da produção na ordem de 1,5 milhões de barris por dia, partilhado "de forma proporcional" entre todos os membros.

Ver comentários
Saber mais OPEP petróleo Rússia produção Viena
Mais lidas
Outras Notícias