Outros sites Cofina
Notícia

Palmela: Um castelo a reboque da indústria automóvel

No ano passado, Palmela viu mais de 2,5 mil milhões de euros saírem do país em bens. A Autoeuropa, claro, está no topo da lista do segundo maior exportador nacional.

Rute Barbedo 30 de Outubro de 2018 às 16:00
Bruno Colaço
  • Assine já 1€/1 mês
  • ...

1991. A joint-venture entre a Ford e a Volkswagen ditava uma mudança radical nos destinos de Palmela e na vida económica portuguesa. "Vamos ter o maior projecto industrial de sempre", garantia Faria de Oliveira, ministro do Comércio e do Turismo, naquele Verão. Como estaria hoje o concelho sem a Autoeuropa, o gigante que nasceu de um dos maiores investimentos estrangeiros em solo português e que estimulou a criação de um parque com 19 fábricas fornecedoras?

Em 2006 (já depois da saída da Ford de Portugal), o concelho superava pela primeira vez os 2.000 milhões de euros em exportações, mas a linha do comércio internacional não se desenhou sempre em crescendo. A maior quebra registou-se entre 2008 e 2009 (de 2,1 mil milhões para 1,75 mil milhões), coincidindo com o ano fatídico em que a economia mundial começou a tremer. Depois da redução em 173 milhões de euros entre 2015 e 2016, no ano passado, as exportações voltaram a recuperar para 2,55 mil milhões.

Em 2016 - ainda a produção do novo T-Roc não havia criado o alvoroço que tem resultado num longo processo de negociações entre a administração e os trabalhadores - a Volkswagen Autoeuropa facturou mais de 1,5 mil milhões de euros, segundo os dados que a Informa D&B forneceu ao Negócios. É ela que lidera as contas e foi à sua volta que cresceram as maiores exportadoras do concelho e, à boleia, seis países que nele têm investido, posicionando-o como o segundo maior exportador nacional. A Alemanha (Volkswagen Autoeuropa e Continental Teves), a Dinamarca (Hempel), a Austrália (Amcor), a Coreia do Sul (Hanon Systems), a França (Faurecia) e a Espanha (Sociedade Luso Espanhola de Metais) são os combustíveis que empurram os contentores para fora do país.

Os dez maiores volumes de negócios do concelho, por sua vez, superam um total de 2,7 milhões de euros, contribuindo significativamente para o peso de 1,1% da actividade económica de Palmela no tecido empresarial português. 

Nota: A elaboração do "ranking" resulta da metodologia de análise da Informa D&B. A informação financeira considerada é baseada no balanço e demonstração de resultados individual e respectivos anexos financeiros publicados e existentes na base de dados Informa D&B. As empresas foram classificadas em 13 sectores de actividade, excluindo-se o sector financeiro e a Administração Pública, assim como as entidades sem empregados e as empresas offshores. Foram excluídas as empresas que não publicaram ou disponibilizaram a informação necessária. São apenas consideradas as empresas que se encontram activas.

Mais notícias