Empresas têm de tirar partido da marca Portugal

Segundo Alberto Ramos, CEO do Bankinter Portugal, as empresas têm de “continuar a privilegiar a inovação e a internacionalização” porque a marca Portugal, em muitos mercados, é já sinónimo de inovação e qualidade.
Empresas têm de tirar partido da marca Portugal
Alberto Ramos sublinha o crescimento significativo do Bankinter.
Mariline Alves
Negócios 22 de janeiro de 2020 às 12:30

A Plataforma Empresarial "é um fórum privilegiado que permite ao Bankinter escutar quais são as principais necessidades do tecido empresarial e, a partir daí, desenhar um conjunto de soluções abrangentes e ajustadas aos objetivos das empresas nossas clientes", refere Alberto Ramos, CEO do Bankinter Portugal. Acrescenta que foi a partir de contributos da edição 2017-2019, em que juntaram mais de mil empresários, que foi lançado, por exemplo, o crédito multilinha Bankinter. Este "permite às empresas o acesso a diversas soluções de financiamento através de um único contrato e com um limite global de crédito, ou os novos módulos que temos vindo a acrescentar à Plataforma de Negócio Internacional, soluções diferenciadoras e ajustadas às necessidades dos nossos clientes", refere Alberto Ramos.

Qual o balanço que faz da atividade de banca de empresas do Bankinter?
O Bankinter, que nasceu em 1965 com uma forte matriz de banco ligado às empresas e à indústria, elegeu como uma das suas prioridades estratégicas quando chegou a Portugal, em 2016, a criação de uma oferta que servisse de forma diferenciadora os clientes empresariais numa altura em que muitas portas da banca ainda estavam fechadas aos empresários. Não obstante, o Bankinter não hesitou em financiar a economia e conceder crédito às empresas, promovendo assim o seu crescimento.
Este trabalho deu frutos e, à medida que os nossos clientes foram crescendo, o Bankinter também cresceu. Em 2019, abrimos mais quatro centros dedicados a médias empresas, que se juntaram aos seis já existentes por todo o país, aos dois centros corporate (Lisboa e Porto) e a uma rede de agências com gestores integralmente focados no segmento Negócios. A esta oferta acrescem ainda os serviços prestados pela banca de investimento, através da qual temos realizado com empresas em Portugal operações de referência a nível ibérico.
Vamos manter uma dinâmica de crescimento em 2020, seja ao nível de crédito concedido às empresas, seja ao nível do reforço da proximidade com gestores e empresários. Continuaremos a apostar na diferenciação, também ao nível do lançamento de soluções e produtos inovadores, flexíveis e totalmente ajustados quer às PME quer a grandes empresas, com especial enfoque no apoio ao negócio internacional, ao financiamento e à gestão de tesouraria.

Como é que foi o ano de 2019 para o Bankinter e quais são as perspetivas para 2020?
O Bankinter Portugal voltou a crescer de forma significativa em todas as áreas de negócio, ao nível de resultados e de número de clientes. Mas gostaria de destacar alguns dos produtos líderes e serviços únicos em Portugal que apresentámos durante o ano e que permitiram que o Bankinter fosse eleito pela "Escolha do Consumidor" como melhor banco na sua categoria.
Na banca comercial, as propostas de crédito habitação Bankinter, com especial destaque para as soluções taxa fixa, têm vindo a suscitar o interesse de cada vez maior número de clientes, tal como a nossa conta mais ordenado e a oferta para os segmentos premier e private.
A banca de empresas voltou também a registar um crescimento muito expressivo. Neste domínio, destacam-se o lançamento em 2019 de novas soluções integradas de negócio internacional e do crédito multilinha Bankinter, solução que permite às empresas o acesso a diversas formas de financiamento através de um único contrato e com um limite global de crédito.
De referir também o dinamismo do Bankinter Investment que, em 2019, preparou a constituição da primeira SIGI portuguesa e estruturou três emissões de European Commercial Paper, além de ter sido o agente colocador de alguns dos empréstimos obrigacionistas mais relevantes em Portugal. Finalmente, o Bankinter Consumer Finance e o Bankinter Gestão de Ativos reforçaram também a sua atividade de forma expressiva e com resultados muito positivos.

Na primeira edição, o clima económico era de crescimento. Hoje o contexto é de maior incerteza, guerras comerciais e desaceleração da economia. Quais são os principais desafios para as empresas, sobretudo as exportadoras e internacionalizadas, nos próximos tempos?
A curto prazo, perspetiva-se um enquadramento económico mundial mais instável. No entanto, tendo em conta a pequena dimensão do mercado nacional, as empresas terão de continuar a privilegiar a inovação e internacionalização, tirando partido da marca Portugal que, em muitos mercados, é já sinónimo de inovação e qualidade. Para isso, precisam de escolher um parceiro bancário sólido, que conheça as necessidades concretas das empresas, partilhe das suas ambições e visão de futuro, franqueando-lhes o acesso a financiamento e a serviços e soluções bancárias de excelência. Estou convicto de que as empresas com projetos sólidos, ambição, planos de negócio consistentes, equipas de gestão competentes e que saibam escolher criteriosamente o seu parceiro de financiamento, serão bem-sucedidas a nível global, continuando a gerar riqueza e empregos em Portugal.

Negócio Internacional abre 2ª edição da Plataforma Internacional

A 2ª edição da Plataforma Empresarial tem início quinta-feira, 23 de janeiro, em Guimarães, às 15 horas, no MitPenha, com o tema "Negócio Internacional". Conta com a presença de José Luis Vega, diretor de empresas do Bankinter Portuga, como keynote, e com Albano Fernandes, CEO da AMF Shoes, Carlos Filipe Vieira de Castro, administrador da Vieira de Castro, Domingos Bragança, presidente da Câmara de Guimarães e Paulo Stricker, CEO da Stricker, que vão debater os Casos de Sucesso. Encerra com Eurico Brilhante Dias, secretário de Estado da Internacionalização, a que se segue um cocktail e flash networking de negócios. As próximas cidades escolhidas para a realização da segunda edição da Plataforma Empresarial são Leiria, Faro, Porto e Lisboa como temas como a "Inovação e Tecnologia", o "Turismo", os "Recursos Humanos" e a "Sustentabilidade Ambiental". Estes dois temas têm como foco a evolução das formas de trabalhar e a necessidade de investir mais e melhor na qualificação dos recursos humanos, sobretudo na vertente digital e de apoio à internacionalização. A Sustentabilidade Ambiental é hoje uma preocupação transversal à sociedade e que toca o Bankinter, que é considerado um dos bancos mais sustentáveis pelo Dow Jones Sustainability Index.

As inscrições para participar podem ser feitas em www.plataformaempresarial.negocios.pt




Marketing Automation certified by E-GOI