Filipe Garcia
Filipe Garcia 15 de julho de 2015 às 20:20

Rica Vida

A persistência paga. Mesmo que se tente filtrar com base em críticas, conselhos e intuições, é inevitável gastar-se muito tempo com livros medianos, que mesmo tendo ideias novas, se podem resumir num par de frases.

E porque se faz esse esforço? Porque às vezes, de tempos a tempos, lá aparece um livro que compensa tudo isso. São obras em que se aprende em cada frase, não se saltam páginas e mal se termina… a vontade é de voltar ao início. Felizmente voltou a acontecer. "Rica Vida" é um brilhante, um livro que aconselho a todos.

 

Esta é uma obra sobre a História Económica de Portugal. Luciano Amaral parte da célebre expressão "viver acima das possibilidades" para descrever a relação do entre o país e os seus recursos. Ao longo de 238 páginas que misturam informação e entretenimento, vão-se descrevendo (de uma forma que considero imparcial) os factos históricos, o que ajuda a perceber que Portugal faz sempre parte de um contexto mais vasto e a refletir sobre algumas regularidades. Em primeiro lugar, Portugal nunca foi de "brandos costumes", pelo menos até ao Estado Novo, nem um país socialmente justo; por outro lado, sempre existiram lutas de classes e privilégios em que o país como entidade política e a sociedade são repetidamente colocados em segundo plano. Em termos de recursos, Portugal esteve quase sempre em défice comercial, pelo que o tema do financiamento foi uma preocupação permanente desde a fundação - o que mudou foi a forma e capacidade de financiamento. Quase sempre se apostou e desejou um Estado forte, mas o "pântano" político tem sido mais regra do que exceção. As revoluções, recorrentes, levaram à substituição de elites e à transferência de poder e riqueza. O autor observa a existência de ciclos económicos e políticos, com cerca de 200 anos, que considera coincidência [eu não], e defende que os eventos económicos não podem ser dissociados dos eventos políticos.

 

O livro cobre toda a História de Portugal até aos nossos dias. Não estou em posição de o classificar em termos de rigor histórico, ainda que as citações sejam abundantes. Mas, como economista, não tenho dúvidas em considerar "Rica Vida" uma análise brilhante do percurso de Portugal ao longo dos tempos. É de leitura obrigatória para qualquer português que queira ter um pensamento independente. Cinco estrelas.

 

Economista da IMF, Informação de Mercados Financeiros

 

Este artigo está em conformidade com o novo Acordo Ortográfico

 

Autor: Luciano Amaral

Editora e Data: 2014 - Dom Quixote

Frase: "Portugal teve um excedente de comércio com o exterior, algo que já não acontecia desde o fim do século XVIII e só voltou a acontecer em 2013"

Keywords: "V Império"; "Elites"; "Revolução"; "Brasil"; "Remessas"; "Sultão de Lisboa"

Classificação: *****

pub

Marketing Automation certified by E-GOI