Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Opinião
Ricardo Domingos rdomingos1@gmail.com 27 de Junho de 2005 às 13:59

Onde é que está o petróleo?

Em quase todas as edições deste jornal há uma notícia sobre o petróleo. E, infelizmente para todos nós, desde o início de 2001 – quando o contrato de crude negociava nos 20 dólares – a cotação tem tido uma escalada ascendente ...

  • Partilhar artigo
  • ...

E, infelizmente para todos nós, desde o início de 2001 – quando o contrato de crude negociava nos 20 dólares – a cotação tem tido uma escalada ascendente apenas interrompida a breves espaços, tendo atingido a semana passada o recorde de 60 dólares por barril.

E porque sobe o petróleo? Por milhares de razões, como as instabilidades geopolíticas no Médio Oriente, mas a resposta mais estrutural tem sido a de que a procura tem superado em muito a oferta disponível. Principalmente, que não foram bem antecipadas as taxas de crescimento de algumas economias asiáticas, com o  adormecido gigante chinês a assombrar os pesadelos de muitos empresários de todo o mundo. Mas as refinarias também têm a sua grande quota de responsabilidade.

Porque, desde 1998, sabiam que as suas próprias usinas não aguentariam aumentos de capacidade se tal fosse necessário, não tendo feito os investimentos de modernização dos seus equipamentos. E, agora, como se tem verificado, quando aumentam a produção para o seu limite, muitas delas não aguentam o esforço e deixam de funcionar. Também a OPEP – que produz cerca de 40% do petróleo mundial – se tem mostrado completamente ineficaz no seu objectivo de manter um equilíbrio na oferta e procura que se reflicta nos preços.

Mas o que causa a maior estranheza é o facto dos estudiosos mais pessimistas sobre o petróleo – que defendem que o «peak oil» em termos de produção mundial deverá estar prestes a chegar, mergulhando a nossa civilização num caos de lutas por novas fontes de energia renováveis – estar sucessivamente a adiar a previsão para o fim de um recurso escasso já há vários anos. E, numa conferência recente em Lisboa, admitiram mesmo que o pico de produção ainda não chegou, atirando novas previsões catastrofistas para 2010. Se assim for, onde está então o petróleo?

Mais artigos do Autor
Ver mais
Outras Notícias