Cinema Conheça os vilões mais ricos da saga James Bond

Conheça os vilões mais ricos da saga James Bond

No dia em que estreia o novo filme da saga James Bond em Portugal, chamado 007 Spectre, saiba quem são os vilões mais abastados do universo de crime, espionagem e aventura de James Bond, de acordo com a Forbes.
Conheça os vilões mais ricos da saga James Bond
Reuters
Negócios 05 de novembro de 2015 às 13:05

O mal não compensa? Perguntemos isso aos 10 vilões mais ricos dos filmes de James Bond, cuja fortuna ficcional a Forbes avaliou em 26,2 mil milhões de euros.

 

Explica a revista que a listagem em causa identifica fortunas comparáveis, empresas e propriedades. A avaliação final é "calculada com uma pitada de sal – neste caso, ‘shaken’  – e alguma vontade de quebrar as nossas próprias regras", pode ler-se no site da Forbes, que faz assim uma referência a um dos chavões do herói desta saga que prefere o seu Martini "shaken, not stirred", ou seja, misturado com um shaker em vez de mexido com uma colher.

 

Em 10º lugar encontra-se Dr No, do filme com o mesmo nome (1962), visto pela última vez na Jamaica e cuja fortuna, proveniente sobretudo das suas propriedades, está avaliada em 110 milhões de dólares. Escreve a Forbes que, "educado como um cientista nuclear, a sua casa é também um centro de pesquisa. O principal ‘hobby’ do doutor é decididamente menos sério – ele constrói aquários e aprecia coleccionar peixes raros".

 

Na nona posição surge Francisco Scaramanga, com uma fortuna avaliada em 115 milhões de dólares, e cuja riqueza provem – nada mais, nada menos – dos homicídios que leva a cabo. Segundo a Forbes, o vilão do filme "The man with the golden gun" (1974) foi visto pela última vez na costa chinesa.

 

A ocupar o oitavo lugar temos uma mulher, Elektra King, do filme "The World Is Not Enough" (1999), com uma fortuna avaliada em 420 milhões de dólares. Herdeira de uma imensa fortuna conseguida através da exploração de petróleo, Elektra foi vista pela última vez em Istambul. Segundo a Forbes, está agora à frente do negócio que herdou e mantém uma relação fria e distante com os antigos parceiros e sócios do pai.

 

Na sétima posição está Karl Stromberg do filme "The Spy Who Loved Me" (1977). Dono de um império aquático, foi visto pela última vez debaixo de água. A sua fortuna foi avaliada pela Forbes em 625 milhões de dólares. Segundo a revista, Stromberg insiste que todas as suas reuniões de trabalho aconteçam a bordo do seu submersível e tem um tubarão como animal de estimação.

 

No 6º lugar encontra-se Ernst Stavro Blofeld, vilão de vários filmes da saga, cuja fortuna está avaliada em 640 milhões de dólares. Segundo a Forbes, a sua fortuna provém de diversas fontes e foi visto pela última vez a inspeccionar uma central nuclear.

 

No quinto lugar desta listagem encontra-se Franz Sanchez, vilão de "License to Kill" (1989), cuja fortuna está avaliada em mil milhões de dólares. Barão da droga, controla actualmente um dos maiores cartéis de cocaína da América do Sul. "Mestre" em relações públicas, praticante de budismo, mantém um templo para meditar nos terrenos de uma das suas fábricas de cocaína, escreve a Forbes.

 

Em quarto lugar surge Elliot Carver de "Tomorrow Never Dies" (1997), com uma fortuna avaliada em 3,9 mil milhões de dólares. Patrão dos media, teve uma origem humilde e a sua história – e fortuna – gravitam em torno do Carver Media Group.

 

Na terceira posição do pódio encontra-se Max Zorin, vilão do filme "A View To A Kill" (1983), cuja fonte da fortuna – avaliada em 5,3 mil milhões de dólares - é fruto da sua empresa de microchips. Competitivo por natureza, Zorin é entusiasta da arte equestre, possui vários garanhões e leva a cabo uma venda anual de cavalos na sua mansão francesa.

 

O segundo lugar é ocupado por Auric Goldfinger, vilão do filme com o mesmo nome (1964), cuja fortuna ascende aos 6,5 mil milhões de dólares. Ignorando as boas práticas de qualquer bom investidor, aposta todas as suas fichas numa única matéria-prima, o ouro. Conhecido por não simpatizar com banqueiros, diz-se que Goldfinger mantém a sua fortuna enterrada nos terrenos da sua quinta em Kentucky.

 

Rufar de bateria… o primeiro lugar é ocupado por Hugo Drax, o ‘mau da fita’ de "Moonraker" (1979), cuja fortuna provém da exploração espacial e está avaliada em 7,6 mil milhões de dólares. Drax foi visto pela última vez a orbitar em torno da Terra. Dono da Drax Industries – que gere uma estação espacial e detém uma frota de naves -, é também um pianista talentoso e apreciador dos tradicionais serviços de chá ingleses.




Saber mais e Alertas
pub