Weekend Em busca das fases da lua

Em busca das fases da lua

A IWC Schaffhausen comemora 150 anos de actividade com o lançamento, no SIHH de Genebra, de três modelos Portofino de edição limitada.
Em busca das fases da lua
Trata-se de uma edição limitada a 150 exemplares em ouro vermelho e 350 em aço inoxidável.
Fernando Sobral 03 de março de 2018 às 12:00
A IWC Schaffhausen está bastante activa neste ano em que comemora 150 anos de actividade. E isso foi notório no SIHH de Genebra. Nele, por exemplo, apresentou três modelos Portofino de edição limitada. Um deles é o Portofino Corda Manual Fase da Lua Edição "150 Years", que combina um clássico Portofino Corda Manual Oito Dias com uma indicação das fases da lua. Trata-se de uma edição limitada a 150 exemplares em ouro vermelho e 350 em aço inoxidável. A variante em ouro vermelho é o único relógio de ouro da colecção de aniversário com um mostrador azul. A combinar estão também os ponteiros, a lua e as estrelas na indicação das fases da lua em dourado. Nos modelos com caixa em aço inoxidável, a lua e as estrelas são rodinadas. Com o calibre manufacturado IWC 59800, a família de calibres 59000 ganha um módulo de fases da lua, que divergirá apenas um dia do ciclo efectivo da Lua após 122 anos.

Sabe-se que há mais de três décadas que a linha Portofino pertence às famílias de relógios mais populares da IWC. Portofino é uma linha mais jovem. Nasceu em 1985 numa época de "dolce vita". Essa era uma época complicada para a relojoaria suíça depois da chegada do quartz e isso demonstrou que qualquer crise traz oportunidades. Nessa época, a IWC destacou-se e simbolizou a luta contra o desaparecimento do movimento automático. Kurt Klaus, o seu mestre relojoeiro, no momento em que todos diziam que tínhamos de entrar no quartz, afirmou que iria fazer o contrário e conceber um relógio o mais complicado possível. Inventou um calendário perpétuo. E o Portofino nasceu justamente depois desse momento. Klaus remodelou uma complicação num relógio mais simples, mais acessível, num tamanho grande. E chamaram-no Portofino porque era o símbolo da elegância naquela época. E é uma lenda desse tipo de vida. Grande, fino, mas agora com um toque mais moderno.

Assim, percebe-se a aposta nestes três novos modelos. Já o Portofino Cronógrafo Edição "150 Years" é uma interpretação especial do cronógrafo no design de aniversário. Estão disponíveis duas edições limitadas, cada uma delas a dois mil exemplares. E o Portofino Automático Edição "150 Years" está disponível em duas edições, limitadas a dois mil exemplares cada.


Identidade

Dois anos depois do seu regresso às colecções da Girard-Perregaux, o Laureato está agora a escrever um novo capítulo na sua história. Trata-se do lançamento de uma gama de modelos com cronógrafo. Era a esperada ampliação desta colecção muito identificada com o desporto. Nascido em 1975, o Laureato transformou-se num ícone da marca. E também é um exemplo de um relógio que pode ser de uso diário. Surge agora em distintas combinações de aço, ouro rosa e pele, e está disponível nos tamanhos de 42mm e 38mm. Interpretado por três cores de esfera, o novo modelo Laureato Chronograph é bastante versátil. Desportivo pela sua robustez, tem detalhes muito elegantes. A versatilidade foi um dos objectivos da marca ao criá-lo e isso está bem patente. Na versão de 42mm, os marcadores da hora estão assegurados no círculo dos minutos, enquanto que a versão de 38mm apresenta marcadores da hora separados do círculo dos minutos. Distinta é, claro, a versão em ouro rosa de 18 quilates. Estamos assim presentes a propostas com uma muito forte identidade, também muito típica da relojoaria da marca. Uma gama de relógios para marcar os próximos tempos.