Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Especialistas apresentam novo indicador que esperam venha a ser matriz

Proposta prevê inclusão na matriz da letalidade, internamentos e doentes em cuidados intensivos.

Com a pandemia, o emprego no setor do alojamento e restauração passou a representar 4,7% do total, o valor mais baixo dos últimos dez anos, segundo os dados do INE.
Nuno Alfarrobinha
Lusa 14 de Julho de 2021 às 13:32
  • Assine já 1€/1 mês
  • 5
  • ...
Uma equipa de especialistas apresentou esta quarta-feira um novo indicador, que acrescenta uma avaliação da gravidade, para determinar o estado da pandemia de covid-19 e esperando agora que este seja adotado pelas entidades competentes como futura matriz.

Na sessão de apresentação do indicador, na Ordem dos Médicos, em Lisboa, o matemático Henrique Oliveira, especialista em sistemas dinâmicos, explicou que os dois indicadores que compõem a atual matriz de risco "não chegam" e "começam a dar uma visão parcial do problema".

A proposta hoje apresentada, que resultou de um "trabalho de equipa" de especialistas do Instituto Superior Técnico e da Ordem dos Médicos, não deita fora os dois indicadores existentes -- incidência e transmissibilidade (Rt) --, mas complementa-os com mais três: letalidade, internamentos em enfermaria e internamentos em unidades de cuidados intensivos.

A atual matriz "é lenta" e "são precisos indicadores mais rápidos", sustenta Henrique Oliveira, defendendo que sejam considerados dados a sete dias e não a 14 dias.

Na mesma sessão, o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, adiantou que a ministra da Saúde já recebeu a proposta de novo indicador e que esta sabia que havia uma equipa a trabalhar o assunto há mais de um mês.

"O Presidente da República já tem conhecimento [sobre o indicador], o Governo terá de decidir", afirmou, sublinhando que a Ordem dos Médicos está disponível para prestar esclarecimentos sobre a nova ferramenta, que classifica como "democrática", porque "pode ser feita em casa, por qualquer um".

Sublinhando que aos especialistas compete "apresentar soluções e fazer recomendações", o bastonário frisou que "era importante que quem tem responsabilidade olhasse e levantasse questões".



Ver comentários
Saber mais Henrique Oliveira saúde matriz covid
Outras Notícias