Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Reino Unido flexibiliza confinamento, mas não as viagens internacionais

Com a queda das taxas de hospitalização e mortalidade e a campanha de vacinação bem-sucedida, que administrou pelo menos uma dose a mais de 31,5 milhões de pessoas, o Reino Unido deve continuar a suspender gradualmente as restrições em vigor desde o início de janeiro.

A carregar o vídeo ...
Negócios com Bloomberg 05 de Abril de 2021 às 19:53
  • Assine já 1€/1 mês
  • 1
  • ...

O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, confirmou que restaurantes, pubs e lojas vão reabrir com a flexibilização do ‘lockdown’ na próxima semana, mas a proibição de viagens para o estrangeiro pode permanecer por mais tempo.

 

A data mais próxima para a retoma das viagens internacionais não essenciais será 17 de maio, e as autoridades alertaram na segunda-feira que um novo adiamento pode ser necessário se os casos de coronavírus continuarem a aumentar noutros países. A decisão será tomada mais perto da data, disseram.

 

Com a queda das taxas de hospitalização e mortalidade e a campanha de vacinação bem-sucedida, que administrou pelo menos uma dose a mais de 31,5 milhões de pessoas, o Reino Unido deve continuar a suspender gradualmente as restrições em vigor desde o início de janeiro.

 

Assim, a partir de 12 de abril, as lojas não essenciais podem reabrir, pubs e restaurantes poderão atender clientes em mesas ao ar livre, estabelecimentos como salões de beleza serão reabertos, enquanto atrações como jardins zoológicos podem receber visitantes.

 

O governo faz planos para conviver com o coronavírus a longo prazo e, por isso, desenvolve um sistema de passaportes da Covid e todos os cidadãos são incentivados a fazerem testes rápidos gratuitos duas vezes por semana.

 

O primeiro-ministro expôs os planos juntamente com as conclusões provisórias de quatro análises de políticas numa conferência de imprensa em Londres na segunda-feira.

 

Viagem globais

O documento confirmou informações divulgadas anteriormente pela Bloomberg sobre um possível atraso para a retoma das viagens internacionais a 17 de maio, devido ao agravamento da situação de pandemia na Europa, e um novo sistema de "semáforos" que entraria em vigor para classificar países com base no risco da Covid-19.

 

O governo "espera" que as férias de verão sejam possíveis este ano, mas aconselha as pessoas a não fazerem reservas "até que o quadro fique mais claro". Por enquanto, viagens não essenciais ao exterior não são autorizadas, disseram as autoridades.

 

A certificação da Covid será crucial para permitir que as viagens sejam repostas mais rapidamente, de acordo com as autoridades.

 

Passaportes da vacina

O documento diz que o governo planeia desenvolver uma forma de "demonstrar facilmente" o status de Covid de uma pessoa. A certificação visa demonstrar que uma pessoa tem imunidade natural depois de testar positivo para o coronavírus, foi vacinada ou testou negativo recentemente.

 

O status pode ser exibido através de uma aplicação de smartphone ou um documento em papel para permitir que as regras de distanciamento social sejam flexibilizadas e, assim, ajudar empresas a retomarem as operações e o público a regressar aos eventos.

 

Um programa piloto para eventos de massa testará diferentes abordagens para regras de distanciamento social, ventilação, protocolos de teste na entrada e passaportes de Covid. Inicialmente, a certificação envolverá apenas testes, mas esse modelo deve incluir o status de vacinação e imunidade natural futuramente.

 

Uma revisão do distanciamento social levará em consideração quando as famílias poderão voltar a abraçar-se e se, com os passaportes da Covid, as regras de distanciamento poderão ser suspensas.

Ver comentários
Saber mais Reino Unido Boris Johnson Covid
Outras Notícias