Economia Portugal tinha a taxa de fertilidade mais baixa da UE em 2014

Portugal tinha a taxa de fertilidade mais baixa da UE em 2014

Os dados do Eurostat mostram que a taxa de fertilidade em Portugal, no ano de 2014, era a mais baixa da União Europeia. Em 2014, na UE nasceram 5,132 milhões de bebés, dos quais apenas 82.367 portugueses.
Portugal tinha a taxa de fertilidade mais baixa da UE em 2014
Bloomberg
Ana Laranjeiro 15 de março de 2016 às 11:18

A taxa de fertilidade em Portugal, em 2014, estava bem abaixo da média europeia. Aliás, foi o país que registou a taxa de fertilidade mais baixa, de acordo com os dados do Eurostat, o gabinete europeu de estatística, divulgados esta terça-feira, 15 de Março.

Em 2014, na União Europeia (UE) nasceram 5,132 milhões de bebés – um valor ligeiramente acima dos 5,063 milhões de bebés que nasceram em 2001. Olhando para os estados-membros da União Europeia, a França liderou a tabela com o maior número de nascimentos, tendo registado 819,3 mil nascimentos. No Reino Unido nasceram, naquele ano, 775,9 mil bebés e na Alemanha 714,9 mil bebés. Em Portugal, o número de nascimentos foi consideravelmente inferior: nasceram 82.367 bebés.


Em termos médios, as mulheres na UE têm o seu primeiro filho muito próximo dos 29 anos – sendo que o documento do Eurostat destaca que as mulheres, dentro da união a 28, que são mães mais novas são as da Bulgária - quase aos 26 anos (25,8 anos). Por outro lado, é em Itália que, em média, as mulheres são mães mais tarde - quase aos 31 anos (30,7 anos).

No que diz respeito à taxa de fertilidade, a média europeia subiu de 1,46 filhos em 2001 para 1,58 em 2014. No caso de Portugal, a taxa de fertilidade está abaixo da média da união a 28 e é mesmo a mais baixa entre os seus membros. Os dados do gabinete europeu de estatística mostram que a taxa de fertilidade em Portugal, em 2014 face a 2001, foi de 1,23 filhos por mulher.

Em 2001, a taxa média era de 1,45 filhos. A Grécia segue em segundo lugar nesta lista das taxas mais baixa, tendo na época em questão uma taxa de 1,30 filhos. O Chipre surge em terceiro lugar (1,30 filhos) seguido da Espanha e da Polónia (ambos os países como uma taxa de 1,32).

Em sentido contrário estava a França – registou uma taxa de fertilidade de 2,01 filhos por mulher. A Irlanda surge em segundo (1,94 filhos) logo seguida pela Suécia (1,88 filhos) e Reino Unido (1,81 filhos).

"Uma taxa de fertilidade total de cerca de 2,1 nascimentos por mulher é considerado ser o nível de substituição nos países desenvolvidos: por outras palavras, o número médio de [bebés] nascidos vivos por mulher necessários para manter a dimensão da população constante na ausência de emigração e imigração", refere o documento do Eurostat.




Saber mais e Alertas
pub

Marketing Automation certified by E-GOI