Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

Preço do metro quadrado em Lisboa supera o de Madrid e Milão

O preço do metro quadrado na capital portuguesa, seja para comprar ou arrendar, chegou aos 4,817 euros em agosto. Das cinco cidades analisadas no relatório da Casafari, plataforma europeia de dados imobiliários, apenas Paris supera Lisboa.

Governo assegura que proprietários não serão prejudicados.
João Cortesão
Sílvia Abreu silviaabreu@negocios.pt 04 de Outubro de 2022 às 10:09
  • Partilhar artigo
  • 3
  • ...
O preço médio do metro quadrado em Lisboa é mais caro do que em Madrid, Barcelona e Milão. De acordo com os dados a que a Casafari teve acesso, o preço médio de venda do metro quadrado na capital portuguesa ascendeu aos 4,817 euros em agosto, valor apenas superado por Paris, onde o metro quadrado supera os 12 mil euros. 

Já em Madrid, Barcelona e Milão o preço do metro quadrado não passou dos 4,764 euros.

Segundo a Casafari, plataforma europeia de dados imobiliários, os preços de venda nas cinco cidades analisadas "aumentaram lentamente" entre agosto de 2021 e 2022, 2,6% em média, sendo que "Lisboa ultrapassou Milão, Madrid e Barcelona como a capital mais cara do sul da Europa para comprar casa, em agosto de 2022".


O crescimento dos preços mais acentuado, assinala a empresa, verificou-se em Lisboa e Madrid, com aumentos de 5,4% e 5%, respetivamente. Já em Barcelona os preços mostraram-se estáveis, com um aumento de 0,9%, e em Paris caíram 0,6%.

Mas nem só para comprar casa é que é mais caro. "No mesmo período, o crescimento dos preços de arrendamento superou o aumento dos preços de venda nas cidades observadas", destaca a Casafaria, detalhando que este ano os arrendamentos subiram em média 13,1% quando comparada ao mesmo período de 2021.

Também nesta categoria a capital portuguesa é líder. "Lisboa lidera o grupo com uma variação positiva de 23,2% de crescimento anual das rendas. Por outro lado, Paris teve um desempenho mais modesto com um aumento de 5%"

Todas as cidades analisadas registaram um diminuição da oferta de imóveis para arrendar, tendo o número de anúncios caído 32%, em média. 

"Lisboa foi a capital que mais sentiu a redução de oferta de listagem de imóveis com um decréscimo de 52,3%", assinala a plataforma de dados imobiliários, acrescentando que em Milão esta queda foi de 37,2% e em Barcelona de 31,6%. Já Madrid viu um decréscimo mais reduzido: 16,3%.

Juan Ruiz, especialista sénior de transção na empresa, afirma, numa nota enviada ao Negócios, que "considerando o aumento das rendas e a potencial desestabilização dos preços de venda, parece ser um ótimo momento para os investidores desta classe de ativos, que é visto como um investimento seguro e muito atraente nestes tempos turbulentos". 

No estudo em causa, a Casafari, que diz ter acesso a mais de 250 milhões de listagens de imóveis de mais de 30.000 fontes de informação online, usou parâmetros de apartamentos em segunda mão, do tipo T0 a T3, e analisou o preço médio por metro quadrado para venda e arrendamento, bem como a oferta e procura nas listagens de imóveis a que tem acesso.

Ver comentários
Saber mais Lisboa Madrid Casafari Milão Barcelona Paris imobiliário
Outras Notícias