Outros sites Cofina
Notícias em Destaque
Notícia

"Estamos no Qatar para ficar"

O primeiro-ministro José Sócrates prometeu hoje em Doha, na abertura do Fórum Empresarial entre Portugal e Qatar que está no país "para ficar".

"Estamos no Qatar para ficar"
Lusa 16 de Janeiro de 2011 às 17:51
  • Assine já 1€/1 mês
  • 3
  • ...
José Sócrates, perante centena de empresários de ambos países disse que a sua vinda Qatar, que termina hoje, servirá para "reforçar os laços políticos", frisando que é a primeira vez que um primeiro-ministro de Portugal faz uma visita oficial aquele país.

Em jeito de agradecimento, o primeiro-ministro agradeceu o apoio do Qatar à candidatura de Portugal ao mundial de futebol e disse que Portugal votou no Qatar e assim contribuiu para a vitória daquele país que vai organizar o evento em 2022.

"Sabemos da importância do Qatar na economia mundial", disse Sócrates, acrescentando que essa é uma das razões porque traz uma comitiva portuguesa de negócios: "Viemos com intenção de continuar uma relação económica que possa servir os dois países".

Como trunfos da economia portuguesa, o primeiro-ministro ofereceu o conhecimento e a influência portuguesa na Europa, através da União Europeia, mas também a América Latina, nomeadamente o Brasil, os países africanos de expressão da língua portuguesa e ainda a Ásia.

José Sócrates, para 'vender' o país, destacou dois sectores de actividade: construção civil e Obras Públicas e novas tecnologias de informação e comunicação, dando o exemplo de que Portugal "é o país europeu que lidera o 'ranking' de 'e-governance'.

O primeiro-ministro falou ainda do sector energético e disse que Portugal "é um dos países do mundo que mais está a apostar nos carros eléctricos.

O Fórum Empresarial serviu também para que a Câmara de Comércio do Qatar e a Confederação da Indústria Portuguesa assinassem um memorando de entendimento para cooperarem em várias áreas de negócio com destaque para a construção civil e distribuição.

Após a visita oficial ao Qatar, José Sócrates parte hoje para Abu Dhabi onde estará até terça-feira.

Esta é uma visita em que o primeiro-ministro está acompanhado por vários ministros, entre os quais Teixeira dos Santos (Finanças), Vieira da Silva (Economia), Luís Amado (Negócios Estrangeiros) e António Mendonça (Obras Públicas e Transportes), em que está previsto encontros bilaterais com os respectivos homólogos nos dois países. Fonte governamental afirmou que esta visita pretende reforçar a presença de empresas portuguesas naquela área do globo de forma a posicionarem-se para o "enorme investimento" que ambos países estão a programar para a próxima década e que culminará com a realização do campeonato do mundo de futebol no Qatar em 2022.

Para a visita aos Emirados Árabes Unidos, o primeiro-ministro fará, na segunda-feira, a abertura da Cimeira Mundial de Energia onde estará presente como orador ao lado de chefes de Estado e de Governo de outros países.

A Cimeira Mundial de Energia, que decorre entre 17 e 20 de janeiro, vai juntar personalidades como o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, o presidente da Islândia, Ÿlafur Ragnar Grimsson, a princesa Victoria da Suécia, o Grão-Duque Guilherme do Luxemburgo ou o presidente do Paquistão Asif Ali Zardari.

Cooperação na energia e turismo

O Governo português assinou entretanto, também hoje, dois protocolos de cooperação com o Qatar na área do turismo e das energias renováveis no âmbito da visita oficial de José Sócrates ao Golfo Pérsico.

Os protocolos, assinados pelo ministro da Economia, Vieira da Silva e pelo seu homólogo Abdallah Bin Hamad al-Atiyah visam "estabelecer condições favoráveis para a cooperação de longo prazo no campo do turismo" e "estabelecer programas conjuntos no campo das energias renováveis e da eficiência energética", segundo um comunicado.

Em relação ao turismo, Portugal e Qatar compromete-se a promover "contactos entre agentes privados e associações de comércio, de ambos os países e investimentos que beneficie ambas as partes", sendo que o protocolo tem duração de cinco anos, renovável automaticamente pela mesma duração.

Relativamente à energia, ambos países se comprometem a apoiar à execução de projectos-piloto no domínio das energias renováveis e contribuir para encontrar soluções de financiamento para projectos no domínio das renováveis.

O primeiro-ministro, que está num périplo de três dias ao Golfo Pérsico, afirmou que a sua visita ao Qatar, onde hoje foi recebido pelo Emir Hamad bin Khalifa Al Thani, tem como objetivo apresentar a economia portuguesa "na sua diversidade e na sua capacidade quer no que diz respeito ao sector das energias mas também no domínio das tecnologias de informação, infra-estruturas, materiais de construção".

Para Sócrates "é absolutamente indispensável que uma economia moderna como a portuguesa tenha também uma presença nesta região do globo", acrescentando que é uma região "emergente" e das "mais importantes do ponto de vista económico".

O primeiro ministro disse ainda que, entre as conversas com as autoridades qataris, esteve o tema das privatizações em Portugal: "Falámos sobre o programa de privatizações e eles olharam para as oportunidades".

Após o encontro com as autoridades do Qatar, José Sócrates parte hoje para Abu Dhabi onde estará até terça-feira.

Esta é uma visita em que o primeiro-ministro está acompanhado por vários ministros, entre os quais Teixeira dos Santos (Finanças), Vieira da Silva (Economia), Luís Amado (Negócios Estrangeiros) e António Mendonça (Obras Públicas e Transportes), em que está previsto encontros bilaterais com os respectivos homólogos nos dois países.
Ver comentários
Saber mais Qatar Sócrates Médio Oriente
Mais lidas
Outras Notícias