Mercado de Trabalho Taxa de desemprego sobe em abril para 6,6%. Em maio deve ter estagnado

Taxa de desemprego sobe em abril para 6,6%. Em maio deve ter estagnado

A taxa de desemprego mensal registou uma ligeira subida em abril, a primeira desde novembro do ano passado. Desde setembro de 2018 que o valor ronda os 6,6%.
Taxa de desemprego sobe em abril para 6,6%. Em maio deve ter estagnado
Mariline Alves/Cofina
Margarida Peixoto 28 de junho de 2019 às 11:02
A taxa de desemprego subiu para 6,6% em abril, revelou esta sexta-feira, 28 de junho, o Instituto Nacional de Estatística (INE). Esta é a primeira subida no indicador mensal desde novembro de 2018 e parece confirmar a ideia de que as melhorias no mercado de trabalho estão cada vez mais curtas. Em maio deve estagnar, antecipa o INE.

A subida foi mais ligeira do que o inicialmente esperado pelo organismo de estatísticas: em vez de duas décimas, a taxa de desemprego avançou em abril apenas uma décima. Olhando para os últimos meses, verifica-se que o valor ronda os 6,6%, mais décima menos décima, desde setembro do ano passado. Um sinal de que as melhorias no mercado de trabalho podem estar a chegar ao fim.

Conforme explica o INE, a população desempregada aumentou em 5,8 mil pessoas em abril (o equivalente a mais 1,7% face ao mês anterior) e o número de empregados manteve-se praticamente inalterado – foram criados mais 1,6 mil postos de trabalho.


Em janeiro havia mais empregos

Apesar do número de pessoas empregadas ter subido de março para abril, comparando com o primeiro mês do ano, verifica-se que a economia perdeu postos de trabalho. "Em relação a três meses antes (janeiro de 2019), a população empregada diminuiu 0,2% (9,1 mil)," lê-se no boletim. Esta comparação pode ser feita uma vez que os valores estão corrigidos de sazonalidade.

Olhando para maio, as perspetivas não são muito animadoras. A estimativa rápida antevê menos 2,8 mil pessoas empregadas do que em abril, o que indica que face ao início do ano a economia nacional parece continuar a perder postos de trabalho. 

Ainda assim, comparando com os mesmos meses de 2018, verifica-se que a situação do mercado de trabalho está melhor.

Do lado da população desempregada, verifica-se que face a janeiro ainda houve uma redução (de 1,7 mil pessoas). Mas olhando para a primeira estimativa de maio, a tendência é outra. O INE indica que o número de desempregados vai subir em mil pessoas. Os dados mostram ainda que deverá ser o grupo dos jovens o mais penalizado. A perspetiva é que a taxa de desemprego da população com idades entre os 15 e os 24 anos suba de 16,3% registados em abril, para 17,4% em maio.

Já a população ativa aumentou ligeiramente em abril (a taxa de atividade subiu de 66,4% para 66,7%), mas deverá manter-se praticamente estagnada em maio.

(Notícia atualizada às 11h30)



pub

Marketing Automation certified by E-GOI