Europa Comissão Europeia ainda mais pessimista com o PIB da Zona Euro em 2019

Comissão Europeia ainda mais pessimista com o PIB da Zona Euro em 2019

A Comissão Europeia reviu em baixa a previsão de crescimento económico da Zona Euro para 1,2% em 2019, a pior marca desde a recuperação económica.
Comissão Europeia ainda mais pessimista com o PIB da Zona Euro em 2019
EPA
Tiago Varzim 07 de maio de 2019 às 12:59

A economia da Zona Euro vai desacelerar ainda mais do que se esperava, apesar da aceleração registada no primeiro trimestre. Nas projeções de Primavera de 2019 publicadas esta terça-feira, 7 de maio, a Comissão Europeia revê em baixa o crescimento do PIB da Zona Euro em 2019 de 1,3% para 1,2%. A previsão para o conjunto da União Europeia também baixou uma décima para 1,4%. 

A previsão assume que o setor industrial continuará "fraco", especialmente nos países onde existem problemas específicos na indústria automóvel como é o caso da Alemanha, a maior economia da Zona Euro. É exatamente na economia alemã que há uma das maiores diferenças: a previsão passa de 1,1% em fevereiro para um crescimento de apenas 0,5%. 

Com as exportações a travar a fundo, Bruxelas considera que só poderá "contar inteiramente com a atividade doméstica" para acelerar a economia. O dinamismo do mercado interno deverá beneficiar do nível de desemprego em mínimos históricos, orçamentos ligeiramente expansionistas, as condições de financiamento favoráveis e a pressão para os salários subirem. 

No entanto, esta previsão não tem em conta a evolução da economia europeia no arranque de 2019. No primeiro trimestre deste ano, o PIB da Zona Euro recuperou o ritmo de crescimento, segundo a estimativa rápida do Eurostat publicada a 30 de abril. Essa aceleração da economia não foi incluída nestas previsões que têm em consideração dados divulgados até 23 de abril.

Certo é que os riscos mantêm-se: o protecionismo, a desaceleração na China, a saída incerta do Reino Unido e as disrupções no setor industrial. Contudo, à porta de eleições, a Comissão Europeia também alerta para o risco do "aumento da incerteza política e políticas menos amigas do crescimento podem resultar num recuo do investimento privado". 

Apesar de se mostrar ainda mais pessimista com 2019, Bruxelas continua otimista em relação a 2020, ainda que menos do que em fevereiro nas previsões intercalares de Inverno. No próximo ano, o PIB deverá crescer 1,5% na Zona Euro e 1,6% na UE, ambas revistas em baixa numa décima. 


"Em 2020, espera-se que os fatores internos adversos desapareçam e que a atividade económica fora da UE recupere", antecipa a Comissão, argumentando que tal será possível com os estímulos em alguns economias emergentes e a melhoria das condições de financiamento a nível mundial. 

As previsões de hoje, no âmbito do Semestre Europeu, deverão ser as últimas da atual Comissão Europeia. As eleições a 26 de maio para o Parlamento Europeu marcam o início do processo de transição para uma nova Comissão que deverá entrar em funções em novembro deste ano, mês em que são reveladas as previsões de Outono. Até lá ainda serão divulgadas as previsões intercalares (só com PIB e inflação) de Verão em julho.




pub

Marketing Automation certified by E-GOI